PS preocupado com a segurança das infraestruturas municipais

0
230

LogoCPC2012teste16

Preocupado. É assim que se encontra o PS da Maia por causa da falta de segurança que levou ao encerramento do túnel rodoviário do Aeródromo de Vilar de Luz, em Folgosa. A infraestrutura foi encerrada no dia 3 de Janeiro devido ao perigo de derrocada, provocada pelas condições climatéricas adversas do início do mês.

Mas não é só. Os socialistas também se mostram preocupados com as actuais alternativas ao túnel por Água Longa, no concelho de Santo Tirso, ou pela Trofa, que “implicam deslocações acrescidas de cerca de 20 km, com uma sinalização deficiente”, e que já levou a várias reclamações.

Por isso, na última reunião do executivo, os vereadores do PS levaram o assunto a discussão e solicitaram a intervenção da Câmara Municipal para melhorar a sinalização colocada no local do desvio. Pediram ainda o plano de manutenção preventiva desta infraestrutura, “uma vez que se trata de um bem estrutural, de suporte da pista do aeródromo, através do qual passam, diariamente, dezenas de veículos ligeiros e pesados, não sendo expectável a ocorrência deste tipo de situações”.

Dessa solicitação, os socialistas concluíram que “não existe qualquer plano de segurança, manutenção e conservação desta infraestrutura que inclua inspecções e diagnósticos aos componentes e elementos da infraestrutura, bem como a sua monitorização com vista à comprovação da sua resistência e fiabilidade”. Os socialistas consideram que se trata de uma situação “inadmissível”, uma vez que, “foram postos em risco pessoas e bens desde a abertura ao público desta infraestrutura”. Por isso, acusam a Câmara da Maia de “incapacidade” na gestão de infraestruturas

O PS compromete-se a adoptar mecanismos, em articulação com os seus eleitos locais, com o objectivo de fazer um levantamento das infraestruturas municipais relevantes do ponto de vista de segurança de pessoas e bens, “solicitando à Câmara Municipal informação detalhada sobre o estado de segurança, manutenção e conservação das mesmas”. Isto porque entendem que só assim, poderá ser restabelecida a “confiança” na utilização das infraestruturas do concelho por parte da população.