PSD entregou lista “ganhadora”

0
162

Foram ontem entregues as listas da candidatura do PSD da Maia às eleições autárquicas de 7 de Outubro, pelas mãos do mandatário financeiro, Cândido Graça. No caso da Câmara Municipal da Maia, o presidente da Comissão Política Concelhia diz ser uma lista “ganhadora” e que visa o pleno, isto é, um executivo exclusivamente social-democrata. Para a Assembleia Municipal da Maia, a meta é eleger 25 deputados, de uma lista de 66 elementos.

 

Comecemos pela câmara. À recandidatura, como cabeça-de-lista, do líder do PSD e actual presidente da câmara, Bragança Fernandes, junta-se a aposta na recondução dos actuais vereadores “laranja”, embora com alterações nos lugares que ocupam. É que, para os primeiros lugares, entram diversos elementos femininos. Mais até do que PRIMEIRA MÃO tinha já avançado na edição de 24 de Julho. Mas vejamos a ordem da lista a entregar esta sexta-feira.

Na corrida à Câmara Municipal da Maia, a Bragança Fernandes segue-se o actual número dois, António da Silva Tiago. E é a partir daqui que há alterações. Ana Miguel Vieira de Carvalho, filha do falecido José Vieira de Carvalho, é terceira na lista do PSD, arrastando Mário Nuno Neves para a quarta posição. Este ano, não pela coligação PSD/CDS-PP, mas como independente, indicado pelos sociais-democratas. Voltando à primeira mulher da lista, o líder do PSD define-a como “uma pessoa muito responsável”, destacando o facto de ser responsável pela comunicação e publicidade do Instituto Superior da Maia (ISMAI) e admitindo que “vai ser uma mais-valia”.

No quinto lugar da lista surge outro actual vereador na autarquia maiata, Paulo Ramalho. Logo a seguir, a também advogada Marta Peneda, filha de outro político nascido na terra (Silva Peneda) e actual presidente da Assembleia de Freguesia de Vermoim. Considera Bragança Fernandes que “vai ser muito útil ao executivo e vai trabalhar muito”. Com a entrada para a lista de mais esta militante social-democrata, Nogueira dos Santos surge no sétimo lugar da lista e, logo a seguir, Hernâni Ribeiro, outro dos actuais vereadores eleitos pelo partido, em 2005.

Incluídos os actuais seis elementos do executivo da Câmara da Maia, eis que se confirma mais uma mulher na lista do PSD. Para a nona posição, entra a engenheira agrónoma Alcídia Castro, “que vem dignificar a lista”, apesar de Mário Nuno Neves ter adiantado, no blogue “Cidadania Maia”, o nome de Eleonora Ribeiro como a terceira mulher da lista social-democrata. O líder do PSD/Maia já confirmou que assim não é, surgindo apenas no 12º lugar da referida lista. Abaixo de outras novidades como a inclusão do médico cirurgião de Águas Santas, Reis Lima (10º), que “conhece muito bem o concelho”, destaca o cabeça-de-lista e, em 11º lugar, o atleta profissional Rui Silva.

Elencados os 12 primeiros desta lista do PSD à Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes define-a como “ganhadora”, assumindo o desejo de “conseguir um pleno”, embora considerando que “será difícil”. A meta é “conseguir um resultado melhor do que há quatro anos”, tal como já tinha adiantado o cabeça-de-lista a 8 de Julho, na apresentação dos primeiros candidatos e dos cabeças-de-lista às assembleias de freguesia. Disse, na altura, Bragança Fernandes, que o objectivo desta candidatura do PSD passa por “vencer de forma clara a câmara municipal, aumentar o número de deputados na assembleia municipal e conquistar mais juntas de freguesia”. De forma a “manter e melhorar a qualidade de vida que os maiatos têm tido até aqui”, acrescenta agora o candidato à presidência da Câmara da Maia.

Renovação na AMM

Em termos globais, ganhar “com maioria absoluta” é o desígnio dos sociais-democratas no concelho, incluindo no que respeita ao número de deputados a eleger para a Assembleia Municipal da Maia (AMM), cuja lista é novamente encabeçada por Luciano da Silva Gomes. A este nível, Bragança Fernandes avançou apenas que há uma alteração na lista do PSD. Seja pelo facto de não haver este ano coligação com os populares, seja pela saída de alguns deputados que “estavam cansados”, entrando novos elementos, inclusive do sexo feminino, para cumprir a lei.

Mas a renovação vai muito para além disso. O cabeça-de-lista à AMM sublinhou a PRIMEIRA MÃO que a principal preocupação na elaboração desta lista foi não limitar a escolha a cores partidárias, mas sobretudo de forma a “ter na lista pessoas que representavam alguns sectores da sociedade civil” e sem esquecer as associações de pais.

Quando a lei obriga a um mínimo de 33 elementos, o PSD apresentou o dobro na lista ontem entregue no Tribunal da Maia, admitindo Luciano Gomes que “houve até algum despique para pertencer à lista”. Dos 66 candidatos, 40 por cento são do sexo feminino, ou seja, “muito acima das quotas”. Além disso, mais de 35 por cento dos seus elementos tem menos de 30 anos. Em termos globais, considera o actual presidente do órgão autárquico, “que esta é a melhor lista para que os maiatos possam confiar nela”, mas escusando-se a comentar os candidatos de outros partidos.

Mas vamos à lista. Tal como em 2005, a Luciano da Silva Gomes segue-se António Fernando de Oliveira e Silva, actual líder parlamentar da coligação “Primeiro as Pessoas”. Para o terceiro lugar entra Maria de Lurdes Rebelo Maia (quarta na lista para as anteriores autárquicas). Quem também sobe uma posição é o contabilista Cândido Graça, “uma pessoa que nos acompanha há muito tempo e tem sido exemplar no trabalho que tem desenvolvido”, salienta o cabeça-de-lista. E há mais alterações nos lugares que se seguem. O quinto lugar da lista é ocupado pelo engenheiro agrónomo Manuel Tavares Gomes, da Cooperativa Agrícola da Maia, seguindo-se também como novidade a entrada da advogada Márcia Passos, do Grupo de Cidadãos Independentes por Vila Nova da Telha. Apesar de independente, faz parte da lista social-democrata à AMM, por ser “uma pessoa interessada nos problemas da sociedade civil e com grande influência nos projectos em que se tem metido”.

Mário Duarte, professor e advogado, é o rosto do sétimo lugar da lista, um dos deputados já eleitos para o mandato 2005-2009 (na altura na 11ª posição), sobretudo conhecedor da comunidade estudantil e dos problemas que a afectam. E se, nas últimas autárquicas, o estudante universitário Rui Monteiro aparecia bem atrás de nomes como Nuno Silva, Luís Miguel Dias, Joana Ascenção ou Ivo Pinheiro (e que não constam da lista para o mandato 2009-2013), surge este ano como o oitavo candidato da lista do PSD, por ser um deputado “que se tem afirmado e se tem interessado por estas questões”, justifica Luciano da Silva Gomes.

Descrita como “uma rapariga que sempre se afirmou” é a advogada Alexandra Torres, nona na lista, imediatamente antes do gestor de clientes Paulo Resende. Abílio de Sousa, que já fazia parte da AMM no anterior mandato, mas na qualidade de presidente da Junta de Freguesia de Pedrouços, é 11º na lista. Não sendo recandidato à assembleia de freguesia, “entendi que era uma pessoa válida e um homem interessante”, explica o actual presidente da assembleia municipal.

Em 12º, surge mais um elemento feminino, a advogada Lídia Branco, antes do empresário José Manuel Sampaio, conhecido por fazer parte dos “Fontineiros da Maia”, de Águas Santas, e que integra esta lista como um dos representantes das colectividades do concelho.

Renovação

Sobre a saída de alguns dos actuais deputados – como Domingos Sousa, Luís Miguel Dias ou Joana Ascenção – Luciano da Silva Gomes justifica com a preferência por não candidatar pessoas com vínculo a empresas municipais ou organismos semelhantes. Sem deixar de reconhecer o empenho e trabalho desenvolvidos por esses e outros deputados que não são agora candidatos. Além disso, para o próximo mandato da Assembleia Municipal da Maia, a aposta passa pela renovação.

Marta Costa