Reconhecimento à comunidade pelo esforço na pandemia pelos presidentes da Assembleia e Câmara da Maia

0
226
- Publicidade -

 

A cerimónia oficial das comemorações do Dia da Liberdade decorreu este domingo, dia 25 de abril, em dois momentos, a partir das 10h00, sendo organizada pela Assembleia Municipal, presidida por Bragança Fernandes.

A cerimónia começou com o hastear da Bandeira Nacional e da Bandeira do Município, pelos presidentes da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal da Maia.

Seguiu-se a sessão solene, com as intervenções do presidente da Assembleia Municipal, António Bragança Fernandes, do presidente do executivo, Silva Tiago, e ainda as alocuções dos representes dos partidos e forças políticas com assento na Assembleia Municipal.

O encerramento deu-se com a apresentação do Hino Nacional cantado pelo Coro Infantil Municipal dos Pequenos Cantores da Maia, em gravação áudio, devido às circunstâncias decorrentes da pandemia.

Bragança Fernandes começou por recordar “os longos meses em que vivemos em pandemia e que nos colocou à prova, enquanto autarcas, enquanto comunidade e enquanto seres humanos”.

O presidente da Assembleia salientou o desafio individual que se colocou a cada um de nós de sacrifício em nome de um bem maior, a Saúde.

A nível do país, Bragança Fernandes considerou que “Portugal, apesar de todos os problemas e todas as dificuldades, está a dar uma resposta à altura dos pergaminhos dos seus quase 9 séculos de história, enquanto nação”.

Silva Tiago referiu-se à importância de celebrar a democracia hoje. “Celebrar a Liberdade, a Democracia e o Estado de Direito Democrático é hoje, sem dúvida, um ato cívico de enorme importância política, no sentido em que nos permite afirmar, a defesa intransigente de uma sociedade que se pauta pela igualdade de direitos e oportunidades, pelo primado da Lei e pela independência dos poderes democráticos.

 

A excecionalidade dos dias que vivemos, enfrentando uma ameaça permanente, invisível mas omnipresente, colocou a sociedade numa situação muito complexa, em que a saúde, sendo já o bem maior, se tornou a principal preocupação no quotidiano de cada pessoa, numa quase luta pela sobrevivência”.

O autarca sublinhou que, no último ano, “a Câmara Municipal, atenta à realidade humana, social e económica que se vive no território concelhio, tem feito tudo quanto está material e humanamente ao seu alcance, para que a comunidade enfrente da melhor forma possível, o maior desafio da sua existência, dizendo presente nos momentos mais críticos e dando respostas às necessidades mais prementes.

Dissemos presente, quando foi preciso cuidar dos nossos seniores e pô-los a salvo em unidades hoteleiras, dissemos presente, quando tomamos medidas de mitigação dos impactos sociais e económicos da pandemia, demos o primeiro passo para a cooperação institucional com as autoridades de saúde, disponibilizando todos os recursos municipais, para que houvesse uma maior proatividade na resposta ao nível da testagem em larga escala e estamos presentes, no extraordinário esforço de vacinação que no início da semana passada cresceu de 800 para 3200 vacinas dia”.

O presidente da Câmara deixou ainda palavras de “reconhecimento”, pelo esforço de inclusão levado a cabo nestes últimos meses, às famílias, a todas as instituições humanitárias e de solidariedade social, bem como às forças de segurança e coletividades concelhias.

- Publicidade -