Revisão do PDM da Maia e o exercício de Democracia

0
136

A revisão do PDM na Maia tem-se pautado por ser um processo participativo ao longo de quase um ano, e inédito no país. Os cidadãos são ouvidos e apresentam propostas sem intervenção dos políticos.

Estamos agora no início da quarta e última etapa deste processo que já congregou opinião de mais de mil pessoas e cerca de 200 propostas.
No dia 12, o Fórum da Maia recebeu à noite a 35ª reunião em que participaram 100 pessoas. Um número só justificado com o frio e a muita chuva mais convidativos, para alguns, a ficar em frente ao televisor a ver um jogo de futebol importante.

Ainda assim, o tempo adverso não impediu que o grupo de trabalho fosse o mais concorrido de sempre neste conjunto de encontros, a que o Prof. José Carlos Mota, da Universidade de Aveiro, costuma designar de “aventura de envolvimento dos cidadãos na elaboração da revisão do Plano Diretor da Maia”.

O Prof. José Carlos Mota integra uma equipa de técnicos da Universidade de Aveiro que constitui um dos parceiros privilegiados da Câmara da Maia para proceder à revisão do Plano Diretor Municipal desta forma aberta e próxima dos munícipes.

Mais de 100 pessoas vindas de todas as freguesias reuniram-se no Fórum da Maia e, ao longo de duas horas, trabalharam para planear as ações experimentais selecionadas de um conjunto de mais 200 propostas.

“A cada etapa participativa o município da Maia eleva a fasquia da exigência e os cidadãos respondem com um enorme entusiasmo, dedicação e espírito cívico, dando um exemplo notável ao país”, afirma José Carlos Mota.

O processo contempla quatro fases. A primeira foi a das Expectativas, seguiu-se a de Diagnóstico e, a terceira etapa, a das Propostas.
Em todas estas fases, realizaram-se reuniões em todas as freguesias. A etapa atual é a que abrange as ações experimentais para testar algumas das propostas já elaboradas.

Da reflexão dos participantes, na última reunião, foram identificados vários conjuntos de ações a testar no terreno em 2020: a valorização do rio Leça e dos seus afluentes (Águas Santas, Milheirós, Pedrouços, Nogueira e Silva Escura e Moreira da Maia), ação de esclarecimento sobre funcionamento de empresas industriais (SN), a melhoria da segurança rodoviária (Rua Afonso Henriques, EN14 e vias do centro da cidade da Maia, Milheirós e Vila Nova da Telha), a qualificação e animação do espaço público através da cultura e do desporto (Castelo da Maia, Cidade da Maia, São Pedro Fins), a defesa das Memórias da Maia (museu virtual), a promoção da Agricultura (Open Day) e a da Cultura Local (Encontro das Associação Culturais).

A equipa técnica aceita ainda propostas de planeamento de ações através do email revisaopdmmaia@cm-maia.pt