Rui Rio venceu na concelhia da Maia com 18 votos de diferença (2)

0
207

Com uma diferença de 18 votos, Rui Rio venceu as eleições diretas na Concelhia da Maia. A votação decorreu no último sábado, a bom ritmo, tendo votado nesta concelhia 756 militantes dos 996 com direito a voto.

Rui Rio contabilizou 385 votos, enquanto Santana Lopes arrecadou 367. Houve dois brancos e dois nulos.

Pedro Santana Lopes apostou muito na Maia, com o encerramento da campanha, na sexta-feira, no Fórum, ao lado de Bragança Fernandes, líder da distrital do Porto. Um grupo de militantes onde se destacava o vereador da autarquia, Paulo Ramalho, deu rosto ao apoio a Rui Rio. O resultado acabou por ser muito renhido no concelho.


Paulo Ramalho feliz com escolha dos militantes

Paulo Ramalho ficou bastante feliz com o resultado, tendo em conta a importância da concelhia da Maia, “uma das mais importantes do distrito do Porto, onde Santana fez o encerramento da campanha, e onde tinha apoiantes de peso, Bragança Fernandes e Emília Santos.

Não deixa de ser verdade que Rui Rio tinha uma candidatura muito forte e que agradava até a pessoas que não eram militantes, havia um forte apoio popular e ainda bem que os militantes votaram neste sentido do que era a vontade do povo português”.

Por outro lado, os meios que se defrontaram na campanha eram muito diferentes nas duas candidaturas, lembra Paulo Ramalho: “nós não mandamos nenhuma carta a nenhum militantes, apenas usamos as redes sociais, enquanto Santana Lopes enviou cartas e mensagens consecutivas, utilizou bem os instrumentos que tinha à sua disposição e esforçou-se por ter aqui um bom resultado.

Devo dizer que a aposta em fazer aqui o encerramento na Maia mobilizou muito os militantes. Entretanto, Rui Rio apelou muito ao voto livre, como aconteceu aqui na Maia. Houve um apoio muito grande dos jovens, que se esforçaram durante três meses por manter a página do facebook Maia com Rui Rio e trabalhando por esta candidatura”.

Das caraterísticas de Rui Rio, Paulo Ramalho salienta que é um homem – claramente um líder – que prima pela “honestidade, rigor, mas acima de tudo, tem ideias muito claras para o país. E depois tem obra feita: conhecemos o seu trabalho à frente da Câmara do Porto, da Junta Metropolitana do Porto, e particularmente aquilo que, durante anos, apresentou como sendo o seu projeto para Portugal”.

Apesar de considerar que Rui Rio demonstrou na campanha que era a pessoa que “estava melhor preparada e o melhor perfil para, nesta altura, ser líder do PSD”, Paulo Ramalho não deixou de defender que, a partir de agora, “todos temos que estar unidos no PSD, pois o partido é só um”.


Bragança Fernandes salientou o equilíbrio da votação

Bragança Fernandes preferiu salientar o facto de a votação ter sido “muito equilibrada com apenas 18 votos de diferença”.
Considerou ser algo normal tendo em conta que “são dois grandes candidatos, qualquer um que ganhe é bom. Amanhã temos que estar ao lado de quem ganhou e ajudar o partido, continuar a trabalhar como se nada tivesse acontecido. Somos um partido único, hoje estamos com um, amanhã estamos com quem estiver à frente do partido”.

Sobre a afluência às urnas na Maia, Bragança disse que foi “interessante” e que se nota que “o partido está vivo e é bom que assim seja que é para vencermos as próximas eleições legislativas que se aproximam”.

Angélica Santos