Silva Tiago tomou posse da liderança do PSD Maia sob o signo da Esperança

0
7

Domingos da Silva Tiago tomou posse da liderança do PSD da Maia, na passada sexta-feira, 13 de Dezembro, no auditório do TECMAIA.

Com a lotação completamente esgotada, a cerimónia contou com a presença de deputados, dirigentes distritais e muitos militantes da Maia. De entre os vários convidados, destacou-se a presença de Marco António Costa, vice-presidente do PSD que na sua qualidade de dirigente nacional teve as honras de encerramento da sessão.

A primeira alocução pertenceu a Madalena Nogueira dos Santos, que num estilo muito pessoal, fez as honras da casa, proferindo um breve discurso de abertura, para tomar e dar posse aos novos órgãos da JSD da Maia, momento em que também teve oportunidade de intervir, Marco Correia, reeleito presidente da JSD maiata.

Bragança Fernandes, que assumiu o cargo de presidente da Mesa do Plenário, aludiu ao ambiente de cordialidade e amizade que o PSD Maia vive actualmente, formulando votos para que assim prossiga, desejando ao seu sucessor, as maiores venturas políticas e felicidades pessoais.

Silva Tiago 01

Silva Tiago, confirmando o seu estilo muito próprio, proferiu um discurso marcado pela forma pausada e enfática como usa as palavras, mas recheado de conteúdo político.

Agradecendo a presença das pessoas, afirmando que a interpretava como um sinal de confiança e amizade, lembrou que tinha muito presente as dificuldades conjunturais que o país e o mundo atravessam, para logo a seguir, afirmar também o seu entendimento democrático, quanto à forma como pretende dirigir a equipa que com ele tomou posse.

“Parto para esta nova etapa da minha vida, com a certeza e o alento de quem segue acompanhado por uma equipa constituída por pessoas que aportam valor e que serão capazes de dar o seu melhor, ao serviço do bem comum. Essa certeza, essa convicção de que na diversidade de opiniões, de experiências e de contributos generosos, havemos de saber encontrar um denominador comum que nos una em torno da nobreza dos fins a que nos propomos, é a força que me anima e impulsiona, neste serviço que quero prestar à comunidade concelhia. Unir, congregar e conciliar até ao limite do possível, as sensibilidades naturais, próprias do género humano, será a grande divisa desta Comissão Política que hoje toma posse e à qual muito me honro de presidir”, salientou o também vice-presidente da câmara maiata.

Mas uma das afirmações que revelou maior significado político e, sobretudo, uma enorme atenção aos sinais dos tempos e à realidade actual foi aquela em que o novo presidente da CPC do PSD Maia, numa piscadela de olhos muito assertiva, dirigida aos maiatos que se afastaram dos partidos, aludiu ao fenómeno, cada vez mais crescente, das iniciativas pró-independentistas, lançando aos social-democratas da Maia, um repto: “O meu compromisso pessoal é trabalhar com entusiasmo e espírito de serviço, para aproximar, ainda mais, os maiatos, do Partido Social-democrata, para que não sintam necessidade de procurar respostas políticas por outras vias”.

Caminho

Foi desta forma que Domingos Silva Tiago disse ao que vinha e qual o caminho que pretendia seguir, reforçando sempre a confiança que depositava, numa equipa que reúne, basicamente, todas as sensibilidades, numa solução negociada e consensual que teve também, como é público, a mão de Bragança Fernandes que a partir de agora, reserva para si, uma espécie de função senatorial, disponível para partilhar o seu património político que é hoje, uma referência concreta, no que toca ao poder local, a nível nacional.

A última palavra de Silva Tiago, expressão que mereceu inclusive uma nota particular de Marco António Costa, cuja intervenção foi formulada, a partir da deixa do novo presidente do PSD Maia, foi uma palavra de Esperança.

Silva Tiago quis timbrar o seu consulado de dirigente máximo dos social-democratas da Maia, sob o signo da esperança.

Victor Dias