O que está "in" em 2010?

0
138

A moda sempre foi conhecida pelo glamour, pela extravagância e pelos exageros característicos dos estilistas. Tudo isso parece ter chegado ao fim, e nem o grande aparato dos desfiles de moda e a ousadia das colecções de "trapinhos" parece estar a escapar à crise.

Na semana da moda de Milão, onde foi apresentada a colecção para o Outono/Inverno do ano passado, houve menos 10 "griffes" a ser apresentadas em relação à edição de 2008. Uma das ausências "de peso" foi Roberto Cavalli, que viu a encomenda da colecção "Just Cavalli" ficar pelo caminho, alegadamente por falta de pagamento a fornecedores. A ausência contribuiu para a "falta de brilho" das apresentações na cidade italiana, de acordo com vários críticos de moda.

E se há menos dinheiro, há menos tecido. E se há menos tecido, as peças simplificam-se. Pelo menos parece ser essa a tendência para este ano que agora começa. Vestimentas simples porque a crise assim o obriga. Mas mesmo com poucos ovos se consegue fazer uma omeleta. A inspiração, essa, veio de décadas passadas, quando a moda ainda não era o "espectáculo" que era hoje e os recursos eram mais escassos. A aposta para a época de calor que se avizinha é marcada pela simplicidade das peças mas, ao mesmo tempo, que consigam manter um visual alternativo e ousado. "Em grande" estão as cores, a complementação dos acessórios e a predominância das figuras geométricas vão ser bastante vistas durante este ano, defendem vários estilistas.

É uma espécie de regresso ao passado, época de emancipação das mulheres, pelo menos no que diz respeito à moda. A ideia é ter mais pele à vista e para isso o ideal é optar por vestidos curtos, sem esquecer as minissaias. Mas nada de peças muito justas, já que a silhueta não deve ser revelada na totalidade. A opção passa, por isso, pelas peças mais "caídas", com bom ajustamento ao corpo, para que se mantenham soltas e confortáveis, sempre com as pernas e os ombros a "dar um ar da sua graça". Tudo indica que o Verão de 2010 irá ser invadido por peças ousadas, que valorizam a transparência e a marcação da cintura. Estampas florais e detalhes em brilho também devem dominar as montras das lojas. Para as mulheres que preferem um figurino básico, investir em cores neutras e decote em V também é uma boa opção. Mas sempre com simplicidade.

Mas se prefere tendências mais ousadas, os estilos "Guerreira do Futuro" e "Dominatrix" também estiveram em alta nas passerelles mundiais. São estilos marcados pela forte atitude, com o intuito de criar uma espécie de "exército" de mulheres determinadas e vanguardistas. Estas tendências são marcadas pelas texturas brilhantes e metálicas, pela cintura alta e por acessórios como pequenos laços que têm como objectivo marcar, ainda que de forma discreta, a silhueta feminina. Estas são as apostas para a época do ano em que faz mais calor, mas a época do frio que agora estamos a viver não foi esquecida. Para os meses de Outono/Inverno, a aposta recai nos combinados com tecidos finos e compactos, a destacar a silhueta feminina num visual mais suave. Em destaque está também o estilo "mágica", baseado no mistério, marcado pelas cores verde e castanha, que transmite um ar sensível e, ao mesmo tempo, sensual.

Por isso, já sabe. A ideia é mostrar o mais que puder. E para isso, convém estar "na linha" e não esquecer a produção. Como nem tudo depende da roupa que se veste, as dicas para uma melhor aparência estão "já aqui ao lado".