A Maia evoca o centenário do nascimento do Padre Pinheiro Duarte

0
198

Ser pároco de uma fregueia, neste caso a da Maia, durante cinquenta anos é, por si só, motivo de júbilo. Sobretudo quando esses cinquenta anos são de contínua e fecunda actividade pastoral. E ainda mais em se tratando do período que mediou entre o início dos anos 40 e o dos anos 90, tão rico ele foi em progresso e desenvolvimento. Durante esses anos a Maia cresceu de uma quase aldeia para uma verdadeira cidade. E o Padre Duarte não só acompanhou como foi um protagonista desse progresso. E não apenas no aspecto estritamente religioso, mas também no da solidariedade e assistência social, no do enino e na da defesa de causas justas e benéficas para a Maia. Foi um cidadão participante e acftivo na plenitude da acepção da palavra.

Não admira, pois, que várias pessoas e instituições tenham concertado esforços para, em 7 e 8 de Março próximos, evocar o que seria o seu centenário, se fose vivo. Câmara Municipal da Maia, Junta de Freguesia, Santa Casa da Misericórdia e Paróquia, prepararam especialmente dois actos, um civil e outro religioso, para corporizar a evocação do Padre Pinheiro Duarte.

José Pinheiro Duarte nasceu na freguesia de Vila Chã do Marão, Amarante, no dia 8 de Março de 1909. Foi ordenado na Sé do Porto, em 27 de Outubro de 1940, pelo Bispo D. António Augusto de Castro Meireles. Cantou Missa Nova em 1 de Novembro de 1940 na sua terra natal e foi nomeado pároco da Maia a 25 de Novembro. Fez a sua apresentação oficial e tomou posse no dia 3 de Dezembro, do mesmo ano. De 12 de Dezembro de 1948 a 31 de Dezembro de 1959, exerceu cumulativamente as funções de pároco de Barca.

Organizou a Catequese, a JOC, Confrarias, Grupo Coral… Promoveu os CPM, a Conferência de S. Vicente de Paulo, a formação catequética e dos Ministros Extraordinários da Comunhão. Exerceu os cargos de Vigário da Vara e de Secretário Regional da Catequese, na Maia.

Foi Secretário da Comissão Municipal de Assistência, desde 1946, data da sua fundação e impulsionador do primeiro Cortejo de Oferendas, com que se construiu o Posto Hospitalar. Foi dos primeiros irmãos da Santa Casa da Misericórdia da Maia e seu capelão. Foi professor do Colégio de Nossa Senhora do Bom Despacho onde mais tarde exerceu funções de direcção. Foi subdelegado, Director e Assistente Religioso da Mocidade Portuguesa. De 1972 a 79 leccionou na Escola Secundária da Maia. Foi Director do Jornal da Maia de 1980 a 1983. Impulsionador da construção da Igreja de Nossa Senhora da Maia. Foi homenageado pela Câmara Municipal da Maia a 28/10/89, dia da bênção da 1ª pedra da Igreja Nova da Maia.

No dia 5 de Novembro celebrou as suas Bodas de Ouro Sacerdotais e no dia 12/05/1991, no final da primeira celebração eucarística na ainda em construção, Igreja de Nossa Senhora da Maia, recebeu do Doutor Vieira de Carvalho, a Medalha de Mérito em Ouro.

Retirou-se da paróquia em Outubro de 1991 para residir em Amarante onde faleceu no dia 15 de Novembro de 1992.

Maia Marques

Programa

7 de Março (Sábado)

21h30 – Sessão Evocativa do Centenário do Nascimento do Pe. José Pinheiro Duarte

Local: Salão Nobre da Câmara Municipal da Maia

8 de Março (Domingo)

11h00 – Missa Solene

Local: Igreja de N. Sr.ª da Maia

15 de Março (Domingo)

10h30 – Missa Solene

11h45 – Romagem ao cemitério

12h30 – Descerramento de Memória Evocativa do Centenário

Local: Vila Chã do Marão – Amarante