Alcoólicos Tratados festejam Bodas de Prata

0
158

O Grupo de Alcoólicos Tratados da Maia (GATM) comemora, no domingo, as bodas de prata. Para assinalar os 25 anos de existência, o palco escolhido para a festa foi a Casa do Povo de Vermoim, apesar de estarem sedeados na freguesia de Pedrouços, onde o auditório é pequeno para este tipo de eventos. Além disso, na Casa do Povo de Vermoim está também aquele que é o presidente da Assembleia Geral do grupo, Joaquim Lessa.

A cerimónia tem início marcado para as 10h30, seguindo-se a sessão solene, às 11h00. Cerca de uma hora depois, e ainda antes de se cantarem os parabéns, serão ouvidos os testemunhos de sócios recuperados, para além das intervenções dos convidados. Para terminar a amanhã, um almoço de confraternização vai juntar dirigentes do GATM, sócios e convidados. Entre eles deverão estar o presidente da Câmara da Maia, o presidente da Assembleia Municipal da Maia, a vereadora do pelouro da Acção Social, entre outros.

Actualmente com cerca de 25 associados, com idades que vão desde os 40 anos, o GATM junta nas reuniões de sexta-feira à noite homens e mulheres. Sempre entre as 21h30 e as 23h00, na sede social, em Teibas. Alguns poderão aproveitar esta sessão solene comemorativa do aniversário para darem o seu testemunho “e ajudarem os que ainda deixaram de beber há pouco tempo ou mesmo alguns de outras associações que ainda andem a beber aos bocadinhos para deixarem de beber”, admite Arsénio Dias, presidente da direcção do GATM há apenas cerca de dois meses.

Arsénio Dias falará enquanto dirigente, embora a sua experiência de vida pudesse também ser revelada num depoimento. Há 20 anos sem beber, sem necessidade de recorrer a qualquer desintoxicação, embora admitindo que, na altura, “já estava no fundo do poço”. Adverte o presidente do Grupo de Alcoólicos Tratados da Maia que a força de vontade é o principal ingrediente para se conseguir a recuperação. Junta-se a desintoxicação e a presença em grupos como o GATM, mas sempre com o apoio da família. Todas as semanas ansiando que chegue a sexta-feira para a habitual reunião, receia Arsénio Dias que, saindo do grupo, “ainda era capaz de recair”.

Mas porque o dia é de festa, e sem sair da Casa do Povo de Vermoim, a tarde será preenchida com um sarau de variedades no auditório. A partir das 15h30, haverá uma demonstração de kung-fu, por uma escola da Póvoa de Varzim, e ainda danças de salão, com o Clube de Dança de Salão do Porto. Para as 19h00, na Igreja de Vermoim, está marcada a celebração eucarística em homenagem aos sócios fundadores e directores já falecidos.

Marta Costa