ANCAP oferece Ceia de Natal gratuita a sem-abrigo e carenciados

0
69

A Associação Nacional de Combate à Pobreza (ANCAP) realiza, mais uma vez, uma Ceia de Natal gratuita, na sua cantina social, em Vila Nova de Gaia, junto à estação de metro das Devesas. Destina-se aos sem-abrigo e pessoas carenciadas que não têm como e onde passar a noite de Natal.

Diariamente, a associação serve de forma gratuita, cerca de 70 a 80 refeições. Na noite de consoada o número de utentes desce para cerca de metade, “porque alguns têm família e procuram-nos nesta altura”, refere Fernando Almeida, presidente da direcção da ANCAP. Na última ceia estiveram presentes cerca de 40 utentes que, como manda a tradição, tiveram direito ao "Bacalhau Com Todos" e aos doces tradicionais da época natalícia. A ementa deste ano será a mesma. No entanto, a associação de solidariedade social está a pedir aos interessados para que confirmem a sua presença até ao próximo dia 20. O objectivo é evitar o desperdício de comida, como aconteceu o ano passado, sobretudo no que se refere aos doces. “Para que todos pudessem beneficiar de um jantar bastante completo, e de alguma forma à descrição, este ano, como as coisas estão difíceis e não queríamos estragar, pedimos que confirmassem, uma vez que sabemos que alguns deles vão passar a consoada com a família”, explica Fernando Almeida. Os que não têm essa possibilidade, têm garantida uma consoada de Natal digna, na cantina social da ANCAP. Serão, sobretudo, sem-abrigo, pessoas que se encontram em situação de desemprego de longa duração ou que simplesmente não trabalham, e que não têm família.

Para além das refeições, a associação leva ainda a efeito campanhas de angariação de fundos para aquisição de cadeiras de rodas, próteses e material ortopédico, e procede à distribuição de cabazes de alimentos a famílias carenciadas, cerca de seis dezenas, num total de 150 pessoas. E são cada vez mais as famílias que procuram este tipo de ajuda, o que acaba por dificultar o trabalho da associação. “Começamos a não ter alimentos suficientes para o número de pessoas que nos procuram”, diz o presidente da direcção. À ANCAP têm chegado pedidos de ajuda de famílias que, de acordo com Fernando Almeida, nunca passaram por esta situação. “São pessoas que já tiveram uma vida relativamente boa e que sentem imensa vergonha em vir aqui buscar o cabaz. É a chamada pobreza envergonhada que está a afectar famílias da classe média e que, neste momento, são tão necessitados como aqueles que são necessitados há anos”, diz.

Nesta altura, estão em lista de espera cerca de nove famílias, não só de Vila Nova de Gaia, mas também de outros municípios, como Vila do Conde.

Fernanda Alves