Ano escolar avança com novidades do Inglês precoce e Secundário em Pedrouços

0
522
imagem de arquivo

A abrir o novo ano escolar, no concelho da Maia, o IV Encontro SUPERTABi marca o ritmo, como vem sendo habitual. Depois, o município promete diversas novidades para um novo ano letivo, com melhorias para os alunos a diversos níveis, tais como o ensino do Inglês precoce, através do Programa PEPPA, e o alargamento do ensino Secundário à freguesia de Pedrouços, bem como uma nova unidade no Agrupamento de Escolas do Castelo da Maia de apoio ao Alto Rendimento Escolar (UAARE), especialmente pensada para atletas de alta competição.

Estas novidades já foram anunciadas em julho aquando do Conselho Municipal da Educação. Já no início desta semana, a presidência da Câmara da Maia comunicava que o Ministério da Educação tinha dado luz verde para avançar com o programa PEPPA.

Aprovado programa PEPPA pelo Ministério da Educação

Maia é o primeiro e único concelho a nível nacional a generalizar o ensino de Inglês (Inglês precoce) a todos os alunos que frequentam o 1º e o 2º ano do ensino básico nas escolas do concelho da Maia.

Para que esta realidade se concretize já no ano letivo 2019-2020, a Câmara Municipal apresentou ao Ministério que tutela esta matéria, um projeto “Primary English Practice Programme for Ages 6-7 (PEPPA)”, que acaba de receber sinal verde para avançar, com permissão para o crédito suplementar de 109 horas, atribuído aos 7 agrupamentos escolares da Maia.  

Ao Ministério da Educação (ME) compete colocar os professores de Inglês (grupo de recrutamento 120) e à Câmara Municipal cabe a celebração de um protocolo com a Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, que concebeu tecnicamente a candidatura, assegurando validação pedagógico-científica ao projeto apresentado pela autarquia e agora aprovado, num investimento autárquico de 7 mil euros.

Para o presidente da Câmara da Maia, António Silva Tiago, este é efetivamente um investimento municipal no futuro: “estamos a investir na capacitação das crianças de mais tenra idade, para quem o Inglês será efetivamente uma ferramenta imprescindível, quer ao seu sucesso nos estudos, mormente académicos, como no que alude ao leque de possibilidades profissionais que essa competência linguística lhes abrirá na vida adulta, proporcionando-lhes realmente maior esperança num futuro de confiança”.

Silva Tiago não tem dúvidas de que as crianças maiatas “ficarão assim melhor preparadas para enfrentar os desafios de um mundo globalizado, que tem cada vez mais a língua inglesa como denominador comum universal”.

A vereadora da Educação, Emília Santos, já havia explicado ao Maia Primeira Mão que no próximo ano letivo, o ensino do Inglês teria um percurso mais linear: as crianças da Maia aprendem “inglês a partir dos 3 anos, sendo que dos 3 aos 5 anos têm contacto com a língua inglesa, agora no 1º e 2º anos do 1º CEB têm inglês introdutório ou precoce (a novidade) e a partir do 3º ano entram no ensino do inglês curricular”.

A vereadora sublinhou que “este é um projeto inovador e mais uma aposta da autarquia da Maia, que tem a chancela do Ministério e onde a Câmara está como entidade facilitadora, suportando a despesa da conceção, formação e monitorização de professores”.

Uma a duas turmas do Secundário em Pedrouços

Até aqui em Pedrouços apenas se lecionava o Secundário na vertente do ensino profissional, mas a partir do ano letivo 2019-20 já irão funcionar uma a duas turmas, “dependendo do número de inscrições”.

Recorde-se que esta medida resulta também da pressão que o Conselho Municipal de Educação (CME) efetuou junto do Ministério da Educação, apontou a vereadora Emília Santos, dando conta que o “CME enviou uma missiva ao Ministério da Educação, porque em Pedrouços havia a necessidade de dar continuidade a alunos que procuravam o secundário regular. O certo é que conseguimos, está aprovado o ensino secundário para Pedrouços e será uma mais valia para todos”.

A vereadora da Educação da Câmara da Maia sublinhava, aquando do Conselho Municipal de Educação e em declarações ao jornal Maia Primeira Mão, que “a Secundária de Águas Santas está completamente lotada e precisa de um apoio de uma escola parceira vizinha, pelo que irá ter muito sucesso esta conquista em que se envolveu toda a comunidade”.

De acordo com esta autarca foi notável a junção de esforços desde a “escola, a Associação de Pais, a Junta e Assembleia de Freguesia, a Câmara Municipal” no sentido de dotar aquela escola de ensino secundário, algo que, para a comunidade, constituiu “uma vitória”.

Unidade de apoio ao Alto Rendimento no Castelo da Maia

Outra inovação para o concelho da Maia e que irá beneficiar um segmento de alunos que praticam desporto de alta competição é a criação de uma nova unidade no Agrupamento de Escolas do Castelo da Maia, a Unidade de Apoio ao Alto Rendimento Escolar (UAARE).

“Somos uma cidade com muitos atletas de alta competição, alunos que precisam de uma ajuda especial, especialmente quando passam muito tempo no estrangeiro em provas e têm que estudar à distância. Esta unidade vem responder às necessidades destes atletas, de várias modalidades, como ginástica, ténis, entre muitas outras”, declarou Emília Santos.

Este novo espaço contribuirá para elevar a qualidade do ensino no concelho continuando a dar seguimento ao estatuto da Maia como Cidade do Desporto, que dá exemplos de pioneirismo na inovação na área educativa, referiu a vereadora.

SUPERTABi aproxima a tecnologia da pedagogia

O 4.º Encontro sobre Inovação Pedagógica SUPERTABi terá lugar nos dias 4 e 5 de setembro, no Grande Auditório do Fórum da Cidade da Maia.

Trata-se de uma organização da Câmara da Maia, com os apoios do Centro de Investigação em Educação da Universidade do Minho, da Maia Cultura, da FAPEMaia, do CFAE MaiaTrofa e com a colaboração da Direção Geral de Educação.

O evento decorre de um projeto de investigação coordenado por Marco Bento e tem vindo a afirmar-se como um marco relevante no panorama da educação, pelo número de professores que adere a esta iniciativa. Nos anos anteriores já atingiu 800 inscritos.

Este grande encontro continua a ser totalmente gratuito, sendo acreditado (pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua- CCPFC) como curso de formação com o registo CCPFC/ACC- 104567/19 (17 horas).

O evento tem duas grandes áreas de abordagem, especifica Marco Bento, uma parte técnica e académica, que faz prova do que os especialistas e investigadores andam a fazer e, numa segunda parte, a divulgação dos projetos que estão a ser executados no concelho e que usam esses estudos. Assim, diz Marco Bento, damos palco aos professores que estão dentro dos projetos de mostrarem e comunicarem aos colegas o trabalho que tem sido desenvolvido ao longo do ano.

“Isso pareceu-nos muito importante, e daí terem aparecido estes encontros, pois uma profissão que não comunica é uma profissão que não existe”

Fomos notando, afirmou Marco Bento, que se fala muito das escolas nórdicas e da sua qualidade, quando “muitas vezes temos escolas aqui ao lado com projetos inovadores e muito interessantes e, por vezes, há colegas até no próprio espaço que não conhecem esses bons exemplos que temos no nosso país. Por isso, surgiram estes encontros para divulgar o que temos de bom também no ensino em Portugal, e designadamente aqui na Maia”.

De referir que o projeto nasceu de um projeto de investigação de Marco Bento e foi no ano letivo passado passado à prática em 7 salas piloto do 1º ciclo, uma em cada agrupamento escolar da Maia. No próximo ano letivo o SUPERTABi vai avançar e replicar para o dobro: 14 salas de aula. Os alunos aprendem com recurso à tecnologia e são o centro do conhecimento e da aprendizagem, cabendo ao professor a função de mediador e orientador.

Painéis com grandes especialistas

Um dos painéis em destaque no primeiro dia, intitula-se “Inovação pedagógica com tecnologia” e vai contar com quatro grandes especialistas: Ana Amélia Carvalho, da Universidade de Coimbra; Fernando Albuquerque Costa, da Universidade de Lisboa; Carlos Santos, da Universidade de Aveiro; Mauro Figueiredo, da Universidade do Algarve.

“Por várias universidades portuguesas temos alguns especialistas, como é o caso destes quatro, que trabalham novos modelos pedagógicos com tecnologia e vão dar-nos conta de trabalhos que têm coordenado e os seus pontos de vista”.

Marco Bento adianta ainda que o painel da tarde do dia 4 de setembro vai ser dedicado ao SUPERTABi Maia com o palco para os professores envolvidos nos 7 agrupamentos escolares da Maia e também dos pais. Vai estar presente o presidente da FAPEMaia – Federação das Associações de Pais da Maia – para dar a visão dos pais, algo que Bento destaca neste projeto em que houve um grande diálogo e entendimento com os pais. “Eles são um elemento muito importante neste processo e procuramos envolvê-los, pois um projeto precisa do apoio dos pais para funcionar, daí que esclarecemos os pais para que eles percebessem o SUPERTABi e não houvesse problemas na sua operacionalização. Este foi um processo participativo, todos os elementos do ecossistema educativo foram chamados a participar”.

Além de António Marinho, da FAPEMaia, integrarão este painel: Marco Bento, José Alberto Lencastre e Irís Pereira, da Universidade do Minho; Ana Paula Cruz AE Águas Santas; Carla Maia, AE Gonçalo Mendes da Maia; Carmen Pinto, AE Pedrouços; Ercília Silva, AE Maia; José Sousa, AE Levante da Maia; Manuel Morais, AE Castelo da Maia; Sónia Antunes, AE Dr Vieira de Carvalho.

A partir das 16h30, realiza-se o painel sobre “Criatividade e inovação pedagógica” com: Ivete Azevedo, de Torrance Center Portugal; Américo Mateus e Susana Leonor, ambos da Universidade Lusófona de Lisboa.

São três dos maiores especialistas em criatividade em Portugal, aponta Marco Bento, acrescentando que nesta área, pretende-se “passar a ideia que não posso pedir aos alunos para saírem fora da caixa quando estou diariamente a formatá-los. O que se pretende é, com exemplos muitos práticos, mostrar como se desenvolve a criatividade, temos que ter estratégias para a estimular nos alunos, não apenas dizer-lhes que sejam criativos”.

Conferência plenária com António Nóvoa

No segundo dia do encontro, realiza-se a Conferência plenária com o convidado, António Nóvoa, embaixador de Portugal na UNESCO. “Ele é a pessoa que mais projetos e mais investigação fez sobre o desenvolvimento profissional da carreira docente. A formação e desenvolvimento profissional dos professores é o centro do projeto e ele é o maior especialista no assunto. No país e no mundo, António Nóvoa talvez seja a maior referência nesta área”, refere Marco Bento.

Projeto de ERASMUS no 1º ciclo

Segue-se a apresentação de um livro sobre um projeto que está a ser desenvolvido num agrupamento de escolas da Maia, “um projeto que sai do SUPERTABi, em que alguns dos professores do projeto desenharam um projeto diferente financiado pela Agência ERASMUS com o propósito de possibilitar que alguns alunos do 1º ciclo pudessem, durante dois anos, ter aulas noutros países, em diferentes momentos do ano letivo. Levamos alunos à Polónia e Itália para terem diferentes experiências. Neste livro vários professores relatam as suas experiências”.

A parceria envolve várias escolas, por isso vão estar no encontro professores também das escolas que receberam os alunos maiatos, vindos da Polónia e da Itália.

Projeto Rekindle a re-encantar os professores com mais de 50 anos

Outro projeto saído do grupo SUPERTABi é o Rekindle 50+, que envolve 20 professores da Maia com mais de 50 anos. Frequentaram um curso, que tem por objetivo, nada mais nada menos, que motivar os docentes para as novas formas de aprendizagem com tecnologia e que estavam um pouco desencantados com a sua carreira docente.

“Reunimos uma turma de professores que se enquadrassem neste perfil – mais de 50 anos e desencantados com a sua carreira – e o que andamos a fazer foi encantá-los usando a tecnologia para esse fim. Durante um ano demos formação e eles estão encantadíssimos, devo dizer. Foi pegar no modelo SUPERTABi e replicá-lo para níveis de ensino diferentes, ou seja, 2º e 3º ciclos e secundário. São níveis onde já não há a mono-docência e isso implica outro tipo de interações. Os resultados são satisfatórios”, assegura Marco Bento.

O Rekindle 50+ está a ser implementado junto de professores dos agrupamentos de escolas da Maia e de Gonçalo Mendes da Maia, onde se iniciou o SUPERTABi. É que este segundo projeto vem colmatar outra situação, no seguimento da aplicação do primeiro, como explica Marco Bento: “quando percebemos que os alunos que concluíram o 1º ciclo no projeto SUPERTABi e avançaram para o 5º e 6º ano, percebemos que havia ali alunos que aprendiam de forma diferente, mas que se confrontavam com professores desconfortáveis com a forma de abordar aquele novo tipo de aluno. Para colmatar isso, fomos buscar esses professores e colocá-los dentro do processo, dando-lhes também ferramentas para poderem dar uma acompanhamento mais personalizado a esse tipo de alunos que lhes chegou.”