Associação Raríssimas retoma aos poucos a normalidade pós-Covid19

0
58
Raríssimas - Quinta dos Marcos
Projeto Quinta dos Marcos

A Raríssimas da Maia está a retomar, aos poucos, a sua atividade presencial. Até junho, foram comunicando por um grupo fechado do Facebook, sendo que alguns ainda não vão à instituição.

A Raríssimas – Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras é uma IPSS e ONG, fundada em abril de 2002, com a missão de apoiar doentes, famílias, amigos, que convivem de perto com as doenças raras.

O Centro Raríssimo Norte, Delegação da Raríssimas na Maia, dispõe de uma equipa multidisciplinar que através de um processo global e dinâmico, orientado para a recuperação física e psicológica do utente, procura a sua melhoria a nível motor e, eventualmente, a sua reintegração social. Os serviços do centro incorporam o bem-estar físico, psíquico e social a que todos os indivíduos têm direito. 

Com o surgimento da Covid-19, o Centro Raríssimo Norte, um pouco à semelhança de outras instituições no país, teve que se reinventar, reorganizar e tomar medidas que sobretudo protegem os seus utentes e colaboradores.

Numa primeira fase, os utentes, maioritariamente crianças e jovens adultos, ficaram resguardados em casa. Foi criado um grupo de facebook fechado, com objetivo de dar acompanhamento aos pais, orientando e informando sobre as melhores práticas e atividades a desenvolver com os seus filhos.

Durante este período, a instituição reuniu os meios de proteção necessários para o regresso. Com a ajuda de vários mecenas, entidades publicas e privadas, conseguiram reunir máscaras, batas, luvas, álcool gel, entre outros equipamentos de proteção individual, colocaram sinalização própria nas salas e circuitos diferenciados.

No início de junho, os utentes começaram a regressar paulatinamente, mas alguns ainda continuam em casa.