Autores portugueses já têm Prémio Nacional

0
68

Numa iniciativa da Sociedade Portuguesa de Autores com o apoio da RTP, os autores portugueses tiveram finalmente direito a um prémio nacional destinado a estimular a criação artística e de conteúdos culturais.

Da Literatura às Artes Plásticas, do Cinema ao Teatro, da Música à Dança, passando pelos prémios especiais dedicados à programação cultural realizada pelas autarquias e às instituições de Cultura, houve prémios para todas as categorias da criação intelectual.

A partir do grande auditório do Centro Cultural de Belém e em directo para todo o país, realizou-se uma gala com apresentação de Catarina Furtado, onde para além de alguns momentos de boa música, houve lugar a gestos de justiça, por parte de uma Sociedade que tem por missão proteger e defender os direitos dos criadores.

Como é óbvio, nem todos os nomeados podiam ser premiados, mas certamente para aqueles que estiveram nessa qualidade, já é muito relevante que um júri os tenha nomeado para serem finalistas.

Confesso que fiquei especialmente contente por ver Cristina Branco ser contemplada com um prémio, bem como o Quarteto Lopes Graça, a ser destacado com o prémio para o melhor disco de Música Clássica, editado em 2009, com obras de Fernando Lopes Graça e António Victorino de Almeida, editado pela Numérica, uma editora nortenha que resiste teimosamente e continua a apostar nos nossos compositores e artistas.

Ao ver a plateia do CCB pejada de escritores, compositores, cineastas, encenadores, pintores, músicos, actores, bailarinos, jornalistas, homens de cultura e fazedores de ilusões, senti um orgulho imenso de ser compatriota de toda aquela gente. Por momentos até esqueci por completo, a pobreza confrangedora da nossa actual classe política que não chega nem aos calcanhares da qualidade dos nossos criadores que são dos melhores entre os melhores do mundo.

Victor Dias