Avós e netos “emprestados” conviveram na EB1 de Moutidos

0
494
Avós e netos “emprestados” conviveram na EB1 de Moutidos
- Publicidade -

Foi uma manhã especial para crianças e idosos em Águas Santas. 17 idosos do Centro Paroquial da freguesia juntaram-se a outras tantas crianças do 3º ano da EB1 de Moutidos, no dia 10, para se conhecerem melhor e passarem a manhã a tirar fotografias.

Pelo meio, abraços, sorrisos e beijinhos entre avós e netos “emprestados”. A alegria dos mais novos fazia-se sentir de forma algo ruidosa a par de uma lágrima de emoção no canto do olho de alguns dos visitantes seniores. A manhã, acima de tudo, fez-se de emoções.

Foi este ambiente terno que a reportagem do Primeira Mão foi encontrar. A escola vivida através de experiências intergeracionais, proveitosas para novos e velhos de maneiras diferentes, naturalmente. Mas proveitosas para todos.

A iniciativa faz parte do Programa Municipal de Saúde Sénior 60+ e começou com uma experiência-piloto no ano letivo passado, apenas entre três escolas. Este ano, o projeto terminou no dia 16 e percorreu sete escolas.

A ideia destas sessões fotográficas é aproveitar a proximidade de alguns dos lares de idosos de escolas básicas para criar laços ainda mais apertados entre duas gerações diferentes. Antes de se conhecerem, os “avós” escrevem aos “netos” sobre a sua infância e estes escreveram outra carta aos idosos sobre o que gostam mais de fazer na escola e em família. Depois chegou o grande dia em que se encontraram pessoalmente, trocaram lembranças e tiraram um retrato. Esta imagem será exibida numa exposição, que se realizará no final do projeto, em julho.
De acordo com dados do INE, referentes a junho de 2014, altura em que o projeto foi lançado, o Município da Maia tem mais de 135 mil habitantes, dos quais cerca de 20 mil têm uma idade igual ou superior a 65 anos o que resulta numa percentagem de 14.79% da população residente.

Rede Municipal das Cidades Amigas das Pessoas Idosas

Não é de surpreender que o município da Maia, que faz parte da Rede Municipal das Cidades Amigas das Pessoas Idosas, desde janeiro de 2013, promova ações direcionadas para a terceira idade. Por ano, mais de 200 idosos participam nas atividades programadas que vão desde o lazer, à atividade física, tendo como objetivo promover o envelhecimento ativo e saudável.

Se o propósito é fazer as pessoas idosas felizes, nada mais fácil do que as colocar em contacto com as crianças. A maior parte dos idosos que visitaram a escola dos Moutidos já têm bisnetos da idade dos “netos” emprestados, como todos lhes chamavam embevecidos. Luís Varela, de 81 anos, referiu que este “momento poderá não dizer nada aos mais pequenos, agora, mas uns anos mais tarde algo vai ficar e eles vão lembrar-se do dia em que uns avós vieram à sua escola”.

O idoso louva o projeto, “não só agora, mais vezes, pelos anos fora, e vir cá mais gente, quem sabe até os meus netos trocarem experiências com os netos dos outros”. Luís Varela aconselhou a jovem Leonor a estudar e a empenhar-se numa carreira futura.

Maria da Graça Mourinho, de 75 anos, estava felicíssima por conhecer o “meu Gonçalo”. Um menino sorridente e tímido, mas que tinha dava uns abraços fortes. A idosa disse que esta manhã era para recordar pela vida fora e que “gostava de voltar”, pois adora crianças. O conselho de avó também foi de estudar e de “portar-se bem”.

Maria José Ribeiro, coordenadora da EB1 de Moutidos, aderiu a este projeto por considerá-lo muito interessante por possibilitar que as crianças possam “compreender que há outros momentos da vida, outras idades e que há pessoas mais frágeis que precisam do nosso apoio, compreensão e ajuda”. E se por um lado, precisam do “nosso carinho”, frisou a responsável, também “temos muito a aprender com os idosos”. A coordenadora escolar sublinhou que pretende que os alunos aprendam a “respeitar toda a gente, mas os idosos em particular”.

- Publicidade -