Bioidentidade no Dia do Agrupamento Gonçalo Mendes da Maia (vídeo)

0
310

A Escola EB 2,3 da Maia recebeu, recentemente, o Dia do Agrupamento Gonçalo Mendes da Maia, que este ano foi subordinado ao tema a Bioidentidade, no âmbito do Ano Internacional da Biodiversidade.
Feira do Livro, exposições, teatro, cinema, jogos tradicionais, feirinha, workshops de pintura, e outros, foram algumas das actividades que estiveram abertas a toda a comunidade escolar. A iniciativa foi o culminar de um trabalho que começou logo no início do ano lectivo. “O tema foi apresentado no início do ano. As actividades foram desenvolvidas em áreas de projecto. Alguns clubes também aderiram ao tema, e hoje é uma amostragem do que foi feito ao longo do ano lectivo”, explicou Maria Celeste Moutinho, coordenadora de projectos do Agrupamento Gonçalo Mendes da Maia.

Neste dia, e desde 2003, “tentamos fazer uma maior articulação com todas as escolas do agrupamento. Tivemos aqui os alunos do ensino pré-escolar e do 1º ciclo”, acrescentou a coordenadora. Um esforço que, de ano para ano, tem vindo a registar uma maior adesão por parte dos alunos do 1º ciclo, principalmente dos alunos que estão a finalizar o 4º ano.

“Vieram conhecer a escola, com uma visita guiada. Estiveram aqui muitos alunos que, com certeza, vão ser nossos no próximo ano lectivo”, salientou.
Naquela que poderá ser a sua futura escola, apresentaram ainda uma pequena coreografia, participaram num workshop de pintura e assistiram a uma peça de teatro. A professora lamenta ainda o facto de as actividades decorrerem apenas durante um dia. Maria Celeste Moutinho defende que as actividades deveriam decorrer ao longo de uma semana, como antigamente. “É muito trabalho para um dia só. Antigamente havia a semana aberta, que acabou, mas que eu acho que era mais interessante para dar aos pais a oportunidade de visitarem as exposições. Um dia é muito pouco”, referiu Maria Celeste Moutinho.
O agrupamento distinguiu ainda os melhores alunos do 2º e 3º ciclo do ano lectivo 2008/2009, com a entrega dos prémios de mérito e excelência.

A Feira do Livro, que decorreu na biblioteca da escola ao longo de três dias, recebeu a visita de vários alunos, mas em termos de vendas, os resultados ficaram aquém das expectativas de Ana Maria Valente, professora bibliotecária. “Os meninos vêm, mas não têm comprado porque, talvez, não venham prevenidos com dinheiro suficiente. Os livros estão caros”, lamentava a professora. De qualquer forma, “têm mostrado muito interesse, têm folheado alguns dos livros, como ‘O Capitão Cueca’ que é muito famoso, e o ‘Onde está o Wally?’. Vão também à zona dos Vampiros, que eles gostam bastante”, acrescentou.

Fernanda Alves