Bolsa para aluna de Barca

0
169

No mês em que a instituição completa 55 anos de existência, a Santa Casa da Misericórdia da Maia (SCMM) voltou a distinguir colaboradores da instituição. Cumprindo uma tradição dos últimos três anos, foi prestada homenagem a duas auxiliares do Infantário da Guarda, que este ano completaram duas décadas ao serviço da SCMM.

No próximo ano, a provedora da Misericórdia da Maia acredita que sejam mais os colaboradores da Santa Casa a distinguir, uma vez que já são mais de 400, acrescentando estar para breve a comemoração das bodas de prata de alguns desses funcionários da instituição. “ E fico muito contente com isso, é porque eles se sentem bem a trabalhar na casa e a casa também se sente satisfeita com o trabalho deles. É um motivo de orgulho”, confessa Lurdes Maia.

E se o número de colaboradores homenageados tem vindo a aumentar nos últimos três anos, o mesmo tem acontecido com os candidatos à Bolsa de Estudo do Prof. Doutor José Vieira de Carvalho, instituída também há três anos. Este ano, concorreram quatro estudantes, mais um do que em 2008. Além do percurso académico e da média final de conclusão do ensino secundário, pesa na atribuição desta bolsa a menor capacidade financeira do candidato, isto é, os recursos económicos do agregado familiar, lembra a provedora da Santa Casa, Lurdes Maia:

[audio:BOLSA_SCMM.mp3]

Daí que os mil euros tenham este ano sido atribuídos a Joana Pedrosa de Freitas, residente em Barca, que terminou o ensino secundário com uma média de 17 valores, tendo ingressado no ensino superior no curso de Arquitectura.

Embora não estando previsto no regulamento de atribuição desta Bolsa de Estudo do Prof. Doutor José Vieira de Carvalho, a Mesa Regedora da SCMM decidiu, a título excepcional, atribuir menções honrosas, no valor de 300 euros cada uma, aos restantes três candidatos, “como estímulo e reconhecimento pela sua valia académica”, pode ler-se no site da instituição. Os contemplado foram José Pedro Pinto Vieira (média final de 19 valores), Ana Catarina Sousa Costa (média final de 17 valores) e Maria João Caxide Lopes Ribeiro (média final de 16 valores).

Recorda a provedora da SCMM que, sendo a Misericórdia uma instituição de solidariedade, a atribuição desta bolsa visa ajudar os jovens estudantes do concelho. Mas também “perpetuar a memória do Prof. Vieira de Carvalho, uma pessoa muito ligada ao ensino, à cultura, à juventude”.

Por falar em ensino e em cultura, Lurdes Maia salientou no sábado a colaboração da Santa Casa com o pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Maia na iniciativa denominada “Livro Solidário”. Através da Biblioteca Municipal Doutor José Vieira de Carvalho, promove-se uma recolha de livros não escolares, cabendo à Misericórdia da Maia a sua distribuição.

Marta Costa