Bombeiros admitem candidatar-se ao QREN

0
226

As direcções das associações humanitárias dos Bombeiros Voluntários de Moreira da Maia e dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços admitem candidatar-se ao Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN). Em causa está o concurso lançado a 5 de Fevereiro pela Comissão Directiva do ON.2 – O Novo Norte, destinado a apoiar associações humanitárias de bombeiros, governos civis e municípios da região Norte que promovam investimentos na área da Protecção Civil.

As condições foram apresentadas faz hoje uma semana às corporações de bombeiros do distrito, pela Governadora Civil do Porto, Isabel Santos. No encontro estiveram representadas as duas corporações da Maia, que vão agora analisar as potenciais candidaturas.

António Freitas, presidente da direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Moreira da Maia, adiantou a PRIMEIRA MÃO que a ideia é apresentar uma candidatura, encaminhando para o comando o elencar das necessidades. Ora, o comandante, Manuel Carvalho, foi um dos representantes da corporação na reunião do dia 12, acompanhando por um elemento da direcção. Deste encontro, concluiu que a avançar-se com uma candidatura, deverá ser através da Federação Distrital de Bombeiros do Distrito do Porto e não os corpos de bombeiros sozinhos.

Seja como for, Manuel Carvalho reconhece que “o esforço da associação humanitária é sempre menor”, acabando por dar resposta àquela que é uma das prioridades deste corpo de bombeiros: a protecção dos homens. Mesmo tratando-se de um “valor muito residual” e que não deverá chegar para mais de oito fatos de protecção individual completos. “É pouco, mas é melhor do que nada”, conclui o comandante, permitindo reforçar o número de equipamentos disponíveis ou até renovar os existentes:

[audio:EQUIP_MANUEL.mp3]

As mesmas contas faz o presidente da direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, Serafim Adalberto, que esteve na reunião no Governo Civil do Porto com o comandante, Domingos Brites. Uma eventual candidatura será ainda abordada em reunião de direcção, que não houve esta semana por ser véspera de Carnaval. Mas o presidente admite avançar. Sobre a proposta do presidente da Federação Distrital, Serafim Adalberto concluiu que uma candidatura conjunta “seria bom para todas as partes”. Ainda assim, “temos que ver se isso nos interessa”, tendo em conta que qualquer candidatura ao QREN implica 70 por cento a fundo perdido e os restantes 30 suportados pela instituição:

[audio:PEDROUCOS_QREN.mp3]

Por isso, outra sugestão que foi bem vista pelo presidente da direcção passa por reunir com a câmara municipal, neste caso, a da Maia, e propor-lhe que assumisse esses 30 por cento de investimento das corporações.

Nenhuma das hipóteses é descartada pelo responsável pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços, por reconhecer que “os equipamentos são sempre necessários e nem sempre temos possibilidade de termos equipamentos realmente capazes de ajudar nas intervenções”. Mesmo que esta candidatura não permita ir além de equipamento de protecção individual para cerca de duas equipas, isto é, dez elementos, de acordo com as contas feitas na reunião no governo civil.

Marta Costa