Bombeiros de Pedrouços de parabéns: Associação Humanitária completa, a 30 de Dezembro, 27 anos

3
175

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços faz no dia 30 de Dezembro 27 anos. Para assinalar o aniversário, data que não ficou oficialmente marcada em 2007, a direcção e o comando organizaram diversas iniciativas. Arrancam, oficialmente, na próxima terça-feira, dia 30 de Dezembro, e prolongam-se até 18 de Janeiro.

No ano passado, não houve festa. Por “uma questão económica”, justifica o presidente da direcção, Serafim Adalberto. Já o comandante, Domingos Brites, diz que, aquando do 25º aniversário, ficou decidido só comemorar de dois em dois anos, “para não banalizar as situações”.

O arranque das comemorações está marcado para as 08h00 de terça-feira, com uma salva de 21 morteiros. Para as 18h00 está agendada a abertura da exposição fotográfica intitulada “Crescer a pensar no Próximo”, que retrata a vida da associação humanitária desde a sua fundação, a 30 de Dezembro de 1981, através de imagens recolhidas em álbuns da própria associação. Foram escolhidas as “mais sugestivas”, salienta Serafim Adalberto. A mostra terá como palco a sala de formação do quartel, tendo a Câmara Municipal da Maia cedido os painéis para a colocação das imagens. Poderão ser apreciadas pelo público em geral até 04 de Janeiro.

Mas não fica por aqui a festa. Há outras iniciativas programadas e, neste caso, a envolver o corpo activo. A primeira é já no sábado, dia 3 de Janeiro, a partir das 16h00. Trata-se de um exercício operacional que vai envolver todo o corpo activo, todas as valências – saúde, incêndio e outras – junto à rotunda da fonte luminosa. O objectivo, diz o comandante, é mostrar à população o que é e como trabalha a corporação, já que será simulada uma situação muito próxima de uma situação de real, já que alguns pontos não são do conhecimento do próprio corpo activo. Sem querer desvendar tudo, Domingos Brites vai dizendo apenas que será “um cenário um bocado duro, para a população saber quais são as nossas capacidades de resposta”.

No dia 4 de Janeiro, e pela primeira vez em Pedrouços, salienta o comandante, haverá um desfile de fanfarras, com início marcado para as 15h00. Segue-se, no programa das comemorações, um jogo de futebol de 11 que vai opor os Bombeiros Voluntários de Pedrouços aos Bombeiros Voluntários de Lordelo, “para que a preparação física não seja posta de parte”, justifica Domingos Brites. Isto no dia 10 de Janeiro. O dia seguinte será o Dia do Sócio, para assinalar na Casa do Alto, com música variada, a partir das 15h00.

As comemorações deste 27º aniversário culminam no dia 18 de Janeiro, com a sessão solene agendada para as 10h30, reunindo diversas individualidades. O momento será ainda aproveitado para entregar as condecorações a bombeiros e a sócios com 25 anos de ligação à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços.

Antes disso, a formatura geral, o hastear das bandeiras e a já habitual romagem ao cemitério, numa homenagem aos que já passaram pela corporação e que “fizeram algo de importante para o corpo de bombeiros”.

Ceia de Natal

Em termos globais, com esta comemoração pretende-se um evento “que nos aproxime um bocado do sócio”, conclui o presidente da direcção, Serafim Adalberto, desejando “ajuda económica” e, sobretudo “paz” como presente para este 27º aniversário. Mas sem querer aprofundar os motivos do pedido. Uma das razões poderá ser a adesão à Ceia de Natal promovida no dia 12 de Dezembro. Organizada pela direcção, na sequência de uma proposta do comandante, não terá tido a adesão desejada. PRIMEIRA MÃO sabe que marcaram presença elementos da direcção, da fanfarra e do corpo activo. Mas, ao que parece, do corpo activo não terão sido muitos os elementos a marcar presença no jantar que decorreu nas próprias instalações do quartel. Ao que apurou PRIMEIRA MÃO, essa ausência terá motivado uma chamada de atenção do comandante junto dos seus elementos.

Ainda assim, questionado sobre a iniciativa Domingos Brites afirma que “houve adesão” e que a Ceia de Natal “funcionou muito bem”, concluindo que “os mínimos foram atingidos”, apesar das dificuldades financeiras que a instituição atravessa.

Admitindo que “não pode ser adesão total”, o responsável operacional justificou algumas ausências com justificações apresentadas pelos bombeiros por terem outros compromissos para a mesma data. Mas foi também dizendo a PRIMEIRA MÃO que, se alguém “não quer estar sentado a uma mesa ou não quer estar junto com outras pessoas, isso não é problema, ultrapassa-se”. E confirmou que decidiu deixar o aviso aos seus homens, sobretudo por não corresponderem a algo que poderão vir a querer no futuro.

Apesar de tudo, “considero positivo o que se fez”, conclui o comandante, dizendo que nem todos partilham da ideia de que “a parte social é importante como a operacional”.

Marta Costa

3 COMENTÁRIOS

  1. 27 anos?
    Ora, ora quem é que comemora 27 anos?Só mesmo com tentações subrepticias ou propósitos brumosos e sinistros é que se quer em final de mandato promover uma “festa” absurdamente anacrónica!Este ano hã eleicções eh,eh,eh…
    As ditas “imagens mais sugestivas” da exposição foram selectivamente retiradas dos albuns das Direcçóes anteriores ,não se entende que no meio de centenas, milhares de fotos do acervo metade da exposição seja ocupada com as carantonhas dos…directores.Não são as direcções a alma as instituições, nem desta nem de nenhuma outra.Que diabo, é preciso abrir os olhos a esta gente…
    Na ceia de Natal ( que eu me recuso a adjectivar ) o Corpo Activo não compareceu porque á mesma hora e no mesmo dia estava uma outra marcada também com elementos do corpo activo-não se pode estar em 2 sitios simultaneamente.A verdade é que mais de 90% deste Corpo Activo não suporta o sr. Serafim Adalberto e os seus laivos de arrogância serôdia, por isso…não pôs lá os pés!Só lá pousaram meia duzia de pássaros perdidos os restantes pertençem á fanfarra.Em suma, triste.
    O que correu bem :
    o jogo de futebol e o simulacro.E não me apetece adjectivar “a festa”.

  2. se calhar o comandante podia ir embora afinal so tem feito porcaria . ja foi posto a pontape de vila do conde . por algum motivo foi .

  3. a jornalista do primeira mao (MARTA COSTA)se calhar devia de deixar de dar credito ao sr serafim adalberto , devia era de se informar sobre o que realmente se passa naquela casa onde so se preocupam com serviços clinicos , o resto nao tem valor ( emergencia e incendios)

Comments are closed.