Bombeiros de Pedrouços precisam de tecto novo

2
160

Serafim Adalberto reeleito a 11 de Dezembro para mais um mandato

Nova direcção tem a intenção de criar uma escola de música

Tomam posse a 10 de Janeiro os novos órgãos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços. No mesmo dia em que se realiza a sessão solene comemorativa do 28º aniversário da instituição, que se assinalou ontem, dia 30 de Dezembro. Não no quartel, mas no auditório da Junta de Freguesia de Pedrouços, edifício contíguo ao dos bombeiros.

Depois da freguesia despertar com a habitual salva de morteiros, e depois da romagem ao cemitério e do hastear das bandeiras, começa às 10h00 o formal acto de posse dos novos órgãos sociais. Foram eleitos a 11 de Dezembro, num acto eleitoral em que participaram 137 sócios. Retirando os nove brancos e os seis considerados nulos, os novos elementos foram eleitos por 122 associados. E são quase todos novos, à excepção do presidente da direcção – Serafim Adalberto – e do tesoureiro – Diamantino Martins. Os que saem, nuns casos por motivos de saúde e noutros por questões profissionais. Da direcção sai também o segundo comandante da corporação, para não acumular as duas funções.

Sobre as eleições, o reeleito presidente confessa não ter orgulho no facto de ter concorrido uma única lista, apesar de se ter chegado a falar em mais duas concorrentes. Mas orgulha-se da “adesão muito grande, para aquilo que costuma ser” a participação noutros actos eleitorais marcados por lista única.

Recordar cedência de terreno

Depois de tomarem posse os novos órgãos sociais, e assim que forem 11h00, começa a sessão solene para comemorar os 28 anos da associação humanitária. É neste contexto que serão feitas as promoções de bombeiros, certificações de cursos em que estes participaram e ainda a distinção dos sócios com 25 anos.

As comemorações do aniversário, que incluem ainda a parada do corpo activo, são este ano concentradas num só dia e sem mais actividades além da sessão solene. Foi a opção da direcção da associação humanitária e do comando do corpo de bombeiros, que no ano passado tentaram inovar ao promover vários dias de iniciativas que permitissem mobilizar a comunidade e aproximá-la da corporação. Mas “as coisas não correram muito bem”, recorda o presidente, porque “houve uma certa dispersão da população” e “o tempo também não ajudou muito”. Para este ano, deseja “uma festa bonita e participada”.

E porque nas últimas semanas o tempo tem sido tipicamente de Inverno, o quartel dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços não escapou às consequências do mau tempo, danificando o telhado. De tal forma que “chove cá dentro como na rua”, lamenta Serafim Adalberto, considerando que, neste momento, “o presente ideal seria um telhado novo”. Pelo menos enquanto não for possível receber o mais desejado presente: um novo quartel. O pedido será feito no dia 10, aproveitando a presença do presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, que “em tempos de eleições prometeu um terreno”.

Havendo esse prometido terreno, a intenção de Serafim Adalberto é tentar avançar para a construção do desejado quartel candidatando o projecto aos apoios do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Embora consciente de que não é projecto para concretizar nos próximos três anos (a duração deste novo mandato), “poderíamos ser mais eficazes, poderíamos ter mais motivação a nível do corpo activo, se tivéssemos melhores condições”, sustenta o presidente da direcção.

Projecto de continuidade

A curto e médio prazo, a nova direcção tem outros projectos, delineados à medida das possibilidades, e que passam por disponibilizar outras valências para além dos bombeiros, nomeadamente numa vertente lúdica. Serafim Adalberto dá como exemplo a intenção de criar uma escola de música. Em conjunto com o comando, pretende-se também abrir à população um curso de primeiros socorros, com o intuito de “aproximar cada vez mais a população aos bombeiros”. E ainda criar uma nova escola de novos bombeiros para garantir a substituição daqueles que vão saindo ou estão menos disponíveis.

Continuidade é a palavra que marca o projecto da direcção que toma posse no dia 10, sendo que já está “sanada” a vertente financeira da associação humanitária. “Não temos dívidas”, garante o presidente, acrescentando a “obra feita” e o facto das viaturas estarem “todas operacionais e em bom estado de conservação”.

Marta Costa

2 COMENTÁRIOS

  1. Por que se trata da “verdade oficial” evidentemente travestida pelo sr. Serafim Adalberto (S.A.) é bom recordar que nem todos os sócios se revêm neste projecto.Para a sua desgraça e dos novos Directores mais de 90% do corpo activo também não, e com frequência abominam os seus laivos de ingénua, mas irritante arrogância e mediocre presença.
    S.A. insiste saloiamente em comemorar datas anacrónicas.28 anos??É habitual assistirmos a convivios salutares dos 10,20,25,30 ou 50, pratas,ouros e diamantes, nas instituições ou colectividades mas o Presidente dos Bombeiros de Pedrouços é diferente, serôdio mas diferente.
    Depois vêm os Boys do PS de Pedrouços.Se se derem ao deplorável serviço de confrontar a lista deste partido á Junta, com os corpos gerentes eleitos poderão ter uma surpresa daquelas…São na sua maioria criaturas bondosas mas que não entendem nada de «Bombeirês» e não se lhes reconheçe nenhuma utlidade nesse aspecto.Oxalá eu esteja enganado..!
    Da outra Direcção o 2ºComandante só ficou para que a essa tivesse quorum, senão caía,dadas as saídas abruptas logo nos primeiros meses.Bastou conhecerem S.A.
    S.A. ficou por razões de gosto,por não ter nada que fazer e carreirismo politico futuro; o sr. Diamantino por questões mais dóceis como por exemplo arranjar emprego para um familiar com relativa rapidez.As eleições forma um paliativo legal, mas dizer-se que houve grande adesão quando só votaram cerca de 10% dos sócios é no limite uma loucura e naquela casa nunca concorreram 2 listas.Basta ir ver as actas!
    O telhado foi objecto de uma intervenção recente ( chovia dentro da camarata ),é deveras preocupante,concedo,que esteja tão desprotegido.Mas S.A. prefere e congratula-se em “não ter as dividas”que tanto apregoa.Que tal chorar ou moinar uma verbazinha da Camâra para o compor a titulo de prenda?Caramba isso até já aqui foi escrito como convirá,alías.
    O novo quartel – S.A. no delirio do seu pensamento, não pensou que exemplarmente para a eficácia na acção e para motivar os Bombeiros concorrem outros factores.De ordem material, como será ter ou não ter veículos,equipamentos,fardamentos e máquinas adequados e modernos; e factores motivacionais como o apreço pelos valores do altruismo,da abnegação e do amor ao próximo.
    Chã e simpatia,são coisas que S.A. não vende de certeza.Ele é um sujeito pomposamente arrogante,incapaz de entender que consegue ser desagradável.É intolerante, intratável, um homem muito nervoso,frio e prosaicamente calculista.As pessoas que lêm este jornal deviam e mereciam de saber disto.

  2. Penso que não devem ter aceite o meu comentário ao vosso artigo, no entanto isso não será motivo para coninuar a minha critica á gestão errática de Serafim Adalberto(S.A.) e á sua Direcção.
    S.A. é uma criatura demasiado obstinada e perigosa.Uma especie de cacique sem quintal á procura de qualquer bocadinho de protagonismo-vide a candidatura á junta-, as suas virtudes não disfarçam a arrogância pindérica que exibe a todo o instante.Para que conste a sua 1ª preocupação quando tomou posse pela 1ªvez foi com as “entidades oficiais” e com aspecto miserávelmente pobre do seu gabinete.Ora S.A. somente pretendeu(pretende) usar o refugio de uma nobre instituição para os seus sinistros e vacuosos propósitos pessoais.Os fins e os meios intrelaçam-se.Oxalá, vaticino,que se vá embora rápidamente os Bombeiros de Pedrouços e sobretudo o seu Corpo Acivo não o suportam e dispensam a sua presença.

Comments are closed.