Bombeiros preparam-se para a pandemia

0
155

 

A Escola Nacional de Bombeiros (ENB) anunciou, na segunda-feira, a distribuição de um folheto informativo com os procedimentos a adoptar pelos tripulantes de ambulância sempre que transportem doentes com Gripe A. O documento vai chegar a todos os profissionais do país, no âmbito de uma política de prevenção que visa salvaguardar a segurança destes profissionais, mas também dos restantes bombeiros e das suas famílias.

Já em Julho a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) tinha elaborado um Plano de Contingência “orientador da actuação a seguir pelas Associações Humanitárias de Bombeiros (AHB) e pelos Corpos de Bombeiros (CBS), numa situação de gripe pandémica” e que “pretende antecipar e gerir o impacto duma eventual situação de gripe pandémica nos colaboradores e voluntários das AHB”.

Os comandantes das corporações de bombeiros do concelho da Maia são unânimes em relação à forma como têm sido divulgados os procedimentos para evitar a infecção pelo vírus H1N1, responsável pela nova estirpe de gripe, a Gripe A. Manuel Carvalho (Bombeiros Voluntários de Moreira da Maia) e Domingos Brites (Bombeiros Voluntários de Pedrouços) assumem-se também atentos à evolução da situação. Seja para melhor responder às solicitações da população, seja para proteger os próprios elementos dos corpos de bombeiros.

No caso dos Voluntários de Moreira, já têm sido seguidas as orientações emanadas de entidades como a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), a Direcção-Geral de Saúde (DGS), o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) ou a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP).

O mesmo acontece em Pedrouços, onde os folhetos com as recomendações foram afixados em vários pontos do quartel. Além disso, um grupo de cinco elementos (incluindo o segundo comandante) participou numa acção de formação promovida pela Federação de Bombeiros do Distrito do Porto, em Baltar, revelou o comandante, Domingos Brites:

[audio:GRIPE_BRITES.mp3]

Em Moreira, Manuel Carvalho sublinha que a situação não é ainda preocupante, temendo um agravamento já a partir de Setembro, com a maior frequência de contactos associados ao regresso às aulas. E até haver o alerta de um pico das infecções, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Moreira diz que os elementos devem adoptar os mesmos comportamentos da população em geral:

[audio:MOREIRA_GRIPE.mp3]

De Pedrouços, Domingos Brites fala já em algum alarmismo associado ao número crescente de pessoas infectadas em Portugal. Mas admitindo que “as pessoas vão ter os seus cuidados quando aumentar a densidade populacional, seja no ensino, seja nos tribunais, seja onde for”.

Marta Costa