Bragança Fernandes reuniu com Secretário de Estado da Administração Interna

0
313

O presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, acompanhado por técnicos municipais, deslocou-se esta quarta-feira a Lisboa para uma reunião com o Secretário de Estado Ajunto e da Administração Interna, José Conde Rodrigues. Na mala de viagem, o autarca levava um pedido para que fosse aumentado o número de efectivos policiais nas esquadras existentes no concelho da Maia.

Mas não foi só. Bragança Fernandes solicitou ainda a Conde Rodrigues uma decisão quanto à instalação de uma força de segurança em Moreira da Maia, com o objectivo de servir toda a zona poente do concelho – Moreira e Vila Nova da Telha. Recorde-se que a instalação já foi publicada em Diário da República, no entanto, ficou por definir se seria a PSP ou a GNR e, por isso, o assunto nunca saiu do papel.

Para a instalação da nova esquadra ou novo posto de Moreira da Maia, a Câmara Municipal já adquiriu um imóvel na zona central da freguesia, um espaço que vai ceder ao Ministério da Administração Interna para a competente instalação. Bragança Fernandes pediu celeridade na decisão porque considera que a nova força de segurança “vai permitir aumentar a segurança de pessoas e bens tanto nas duas freguesias, como no próprio aeroporto Francisco Sá Carneiro e como em boa parte da Zona Industrial da Maia”, justifica.

O edil da Maia afirmou ainda que só está preocupado com a segurança da população e divulgou que, há pouco tempo, recebeu uma moção da Assembleia de Freguesia de Vila Nova da Telha e dos moradores e que também já recebeu vários pedidos da Junta de Freguesia de Moreira da Maia.

No final do encontro, em declarações a PRIMEIRA MÃO, Bragança Fernandes afirmou que recordou ao secretário de Estado que quer o ministro da Administração Interna, Rui Pereira, quando esteve na Maia para a inauguração do novo posto da GNR e quer o antigo secretário de Estado, quando se deslocou ao município para a inauguração da Divisão da Maia da PSP, “prometeram ajudar a resolver o problema”.

Para já, não há qualquer decisão. Conde Rodrigues ficou com o dossier que prometeu estudar nos próximos dias e até reunir com os responsáveis da PSP e da GNR para estudar uma solução. “Fiquei de lhe ligar nos próximos 15 dias para ver o que é que ele fez”.

Da sua parte e com base em conversas que já teve com os responsáveis locais da GNR e com o Comando do Porto da PSP, diz que o ideal seria instalar a Policia de Segurança Pública “porque fazia a ligação com Matosinhos, com a cidade e com o aeroporto”.

O autarca pediu também um reforço de meios humanos quer para a PSP quer para a GNR porque “os agentes policiais são poucos”. E do secretário de Estado recebeu uma garantia de análise da situação. “Ele ficou de fazer um levantamento e dizer-me alguma coisa”.

Contudo, Conde Rodrigues foi adiantando que o seu problema não é a esquadra ou o posto em si, mas sim os efectivos a colocar no local. “Ele não tem forças de segurança, estão a tentar formá-las e eu espero que os próximos que se formem venham para a Maia”. “Vamos esperar. Cumpri com a minha obrigação de presidente de câmara de alertar, mais uma vez, o Governo para a insegurança que se vive na Maia”.

Isabel Fernandes Moreira