Câmara da Maia apoia aquisição de viaturas pelas entidades solidárias

0
240

A Câmara Municipal da Maia e várias entidades solidárias do concelho assinaram, no dia 11, contratos de comparticipação financeira para a aquisição de viaturas no valor total de 94 mil euros.

O apoio do município da Maia corresponde a metade do valor dos veículos de diferentes valências. Assim, a Santa Casa da Misericórdia da Maia adquiriu uma carrinha de nove lugares adaptada para pessoas com mobilidade reduzida (comparticipação de €14.525,00); a Associação ASMAN comprou um autocarro de 18 lugares (com apoio de €17.654,43); a Associação de Solidariedade Social “O Amanhã da Criança” comprou um autocarro de 29 lugares (comparticipado em €48.952,34); O Recreio do João, Cooperativa de Solidariedade Social C.R.L. adquiriu um ligeiro de mercadorias para apoio domiciliário (com apoio de €2.439,02); e a Associação das Obras Sociais S. Vicente de Paulo (Conferências Vicentinas – Zona da Maia) adquiriu um ligeiro de mercadorias (apoiado em €10.392,91).

A cerimónia realizou-se nos Paços do Concelho da autarquia da Maia, com a presença dos responsáveis pelas instituições sociais e da autarquia: vereadora do Desenvolvimento Social, Ana Miguel Vieira de Carvalho, e presidente da Câmara, António Silva Tiago.

Já é habitual a Câmara da Maia apoiar as instituições de Solidariedade Social do concelho, designadamente na comparticipação na aquisição de viaturas. Ana Miguel Vieira de Carvalho afirmou perante os dirigentes das IPSS que todas estas entidades são “muito importantes” para concretizar a política social no município: “vocês fazem muito bem o vosso trabalho e, desta forma, a Câmara Municipal tem menos para fazer”.

“Tratamos os problemas das famílias diariamente e de forma silenciosa”

A vereadora frisou ainda que na Maia “tratamos os problemas das famílias diariamente e de forma silenciosa, como deve ser a nossa atuação”.
António Silva Tiago também agradeceu o trabalho de todas as instituições sociais e afirmou que, em breve, irão ser apoiadas as aquisições de viaturas também na área desportiva. O apoio às coletividades sociais, neste caso, “é fundamental”, referiu o autarca, salientando que estas entidades trabalham com “rigor, honestidade, humildade e entreajuda”.

“O Estado devia dar o exemplo e não o faz”

O presidente da Câmara da Maia salientou ainda que as IPSS fazem um trabalho “inestimável” substituindo-se à Câmara e, muitas vezes, ao “Estado central”. A este propósito, António Silva Tiago aproveitou para alertar para as muitas dificuldades que algumas das instituições sociais na Maia estão a ter no seu funcionamento e cumprimento de compromissos devido a atrasos nos pagamentos das comparticipações por parte do governo.

“O Estado devia dar o exemplo e não o faz”, afirmou o autarca. Silva Tiago adiantou que uma instituição da Maia procurou ajuda junto da Câmara porque não conseguia pagar os subsídios de férias e de Natal deste ano. O executivo acabou por aprovar “o adiantamento de uma verba de um projeto dessa instituição” para colmatar essa falta de liquidez, devida a atrasos nos protocolos com o Estado central.