Câmara da Maia entrega cabaz de solidariedade à Santa Casa

0
247


A Câmara Municipal da Maia entregou esta sexta-feira, ao final da tarde, à Santa Casa da Misericórdia da Maia, o Cabaz de Solidariedade de Natal O projecto foi lançado no início de Novembro no Museu de História e Etnologia das Terras da Maia, na Biblioteca Municipal e na Quinta da Caverneira com o objectivo de recolher vestuário, brinquedos e livros, em bom estado, para serem distribuídos pela Santa Casa às pessoas mais desfavorecidas.

A iniciativa surgiu há cerca de seis anos, a partir de uma ideia do museu. No entanto, acabou por ganhar outra dinâmica com a adesão da biblioteca municipal e da biblioteca da Quinta da Caverneira. Agora, afirma a directora da biblioteca, Suzana Sousa e Silva, tentam reunir energias para que seja algo “mais forte, mais profundo e com outra densidade”. “Este ano, efectivamente, nota-se que as pessoas estão mais sensíveis. Parece que a nossa sociedade está saudável. Notamos aqui uma grande necessidade de partilha porque afinal temos coisas em casa que já não usamos e que podemos dar aqueles que mais necessitam”: justifica.

Suzana Sousa e Silva acredita que, este ano, o presente é mais “genuíno e maior, também porque a sociedade precisa mais. “Se calhar nestes momento sentimos que temos que trazer tudo o que temos e no unimos mais. Se calhar, esta capacidade de partilha é a parte boa da crise”, acrescenta.

A iniciativa não costuma englobar alimentos, contudo, este ano também fizeram uma recolha alimentar. Para isso, contaram com a colaboração da União Fraterna da Região Norte. O projecto conseguiu assim abranger um outro aspecto que ainda faltava, “mais voltado para os idosos e para aquelas pessoas que têm carências muito básicas ao nível da alimentação”.

E a recolha deste ano superou as expectativas, afirma a responsável pela biblioteca. “A recolha costuma ser sempre muito boa e nesse aspecto acho que os maiatos respondem muito bem a este tipo de iniciativa, este ano, há mais, a quantidade foi maior“.

A provedora da Santa Casa da Misericórdia da Maia agradeceu a oferta porque mais do que nunca toda a ajuda necessária. “Toda a ajuda é bem aceite porque tudo aquilo que nós consigamos para poder ajudar os outros é fundamental”, diz Maria de Lurdes Maia.

De acordo com a provedora, a procura tem vindo a aumentar não só junto dos utentes da instituição mas também junto da comunidade onde estão inseridos. “Como estamos praticamente em todo o concelho temos conhecimento das diferentes realidades”. E a Santa Casa tem conseguido encaminhar e responder a todas as situações que têm sido sinalizadas. “Temos feito um trabalho mais em silêncio”.

E no próprio dia da entrega provedora e técnicos já conversavam sobre quem ficava com o quê. “Com tanta resposta social, com tanta criança, com tanto idoso logicamente que não faltam clientes para tudo o que nos foi entregue. Tudo vai ter utilidade, como tem tido nos anos anteriores”, sublinha.

Para além de muitos cidadãos anónimos, nas contribuições para o cabaz participaram algumas instituições, entre elas as escolas EB1 /JI do Castelo da Maia e de Porto Bom, os jardins de infância de Moutidos e Águas Santas e as escolas EB1 de Ferronho, de Santa Cruz que se organizaram internamente.