A Câmara da Maia prepara-se para apresentar à população novos investimentos nas escolas. Desde o último mandato do executivo liderado pela coligação PSD/CDS que o parque escolar tem sido alvo de uma profunda remodelação.

As mais recentes transformações deram-se na Escola de Moutidos, cuja profunda requalificação será inaugurada oficialmente a 7 de fevereiro, e a autarquia prepara-se para lançar concurso público para nova intervenção de fundo, desta vez, na Escola da Maia-sede.

“A profunda intervenção efetuada na Escola Básica de Moutidos enche de orgulho todos os maiatos. A felicidade orientava o caos que se fazia sentir no dia da mudança”, relatou a vereadora da Educação Emília Santos ao jornal Primeira Mão.

No passado dia 6 de janeiro, os alunos voltaram à Escola de Moutidos. Emília Santos refere que nesse dia sentiu-se na escola uma espécie de “tornado” com “alunos, professores e equipa não docente a movimentarem-se freneticamente numa rota desorganizadamente organizada, apropriando-se do espaço”.

A Câmara Municipal procedeu a um investimento da ordem de 1 milhão e 300 mil euros, dotando o edifício de tudo aquilo que necessita para que os alunos gostem de aprender e se tornem “línguas perguntadoras”.

E sublinha ainda Emília Santos que neste espaço escolar completamente novo é possível uma Educação de excelência com “professores motivados a fazerem aquilo que gostam – ensinar e orientar para a procura do saber; um corpo não docente orgulhoso de organizar, manter e animar um espaço que, apesar de novo, tem anos de histórias para contar e, finalmente, pais e encarregados de educação que se sentem seguros ao deixarem as suas crianças ao cuidado de outros”.

Apesar de a Escola Básica de Moutidos ter um historial de 70 anos, a verdade é que, afirma a vereadora da Educação, encontra-se agora uma “escola completamente nova”, que “preserva a sua identidade estrutural e, em simultâneo, oferece as condições e os equipamentos que uma escola do século XXI exige. Uma escola que, em paralelo à belíssima porta do ano de 1949, tem ambientes educativos inovadores, com metodologias de ensino e aprendizagem diferenciadoras, equipamentos tecnológicos adequados e mobiliário que permite uma dinâmica inigualável em sala de aula”. A vereadora frisa que é caso para sublinhar: “Na Maia o futuro é agora”.

Com a inauguração prevista para 7 de fevereiro da requalificação da escola de Moutidos, “quase se encerra o ciclo da requalificação das escolas do ensino básico da Maia”, garante Emília Santos.

Mas o trabalho nas escolas parece nunca acabar e surgem sempre obras a fazer, no sentido de satisfazer as necessidades da comunidade escolar dando garantias aos professores e pais de que os alunos e filhos têm condições para uma aprendizagem de sucesso. Assim, a vereadora Emília Santos adianta que a “próxima intervenção focar-se-á na beneficiação da Escola Básica da Maia-Sede”.

O projeto apresentado pelos técnicos municipais, fechado depois de colher os contributos dos professores, pais e autarcas de freguesia, prevê “alterações ao nível do conforto e dos equipamentos, com a mesma finalidade de todas as intervenções que realizamos: trabalhar competências transformadoras, que preparem os nossos alunos para desfrutarem do futuro e contribuir para os níveis de dopamina e serotonina”. Será o mesmo que afirmar, sublinha Emília Santos, “queremos alunos que saiam felizes da escola e com vontade de regressar no dia seguinte, professores e equipas não docentes realizadas e pais e encarregados de educação mais tranquilos”.

A vereadora garante que a Maia-sede será a obra que se segue, onde se investirá quase um milhão de euros, não adiantando por enquanto uma data para o início da intervenção. Conclui afirmando ao Primeira Mão: “É para isso que trabalhamos, na Maia. Para termos um futuro de confiança”.