CAT da “A Causa da Criança” já acolheu 27 crianças

2
168

O Centro de Acolhimento Temporário (CAT) da associação “A Causa da Criança” completa a 17 de Outubro o seu primeiro ano de actividade. Com capacidade para acolher 20 crianças em situações de risco e com mais dois lugares para situações de emergência social, o CAT já atingiu o total da sua capacidade. Até agora, acolheu 27 crianças, sendo que cinco foram reintegradas nas suas famílias. “Isso satisfaz-nos. É, no fundo, a verificação da nossa necessidade, do nosso trabalho e do nosso empenho”. Mas os meses que se seguiram à abertura do CAT não foram fáceis, para todos. Para as crianças, “porque vinham de meios diversos. A adaptação delas não foi fácil”. Para os funcionários, a adaptação também não foi fácil, uma vez que “foram admitidos num tempo muito curto”. Hoje, “está tudo estabilizado. Aquela fase mais conturbada já faz parte do passado”, garante o presidente da associação responsável pelo CAT.

Gerir uma instituição deste tipo, não é nem nunca será fácil, segundo Álvaro Gil Azevedo. Apesar da ajuda substancial da Segurança Social, a associação tem ainda de suportar uma parte dos custos resultantes do funcionamento do centro. Tem sido importante a “solidariedade” da sociedade civil, em termos de roupas e brinquedos. Também tem havido uma ajuda em géneros alimentares, mas em menor quantidade. E são os alimentos que mais fazem falta, porque estamos perante uma casa com mais de 20 crianças para alimentar. Por isso, sempre que alguém se mostra disponível para ajudar, a associação procura que ela seja feita em produtos alimentares ou em dinheiro. “As ajudas em dinheiro são sempre bem vindas, porque há muita coisa que temos de pagar em dinheiro, como a água, a luz e o gás, assim como medicamentos e produtos de limpeza, que temos de comprar”, explica Álvaro Gil Azevedo.

As várias provas de solidariedade, através da doação de roupas e brinquedos, levaram a que a associação necessitasse de mais um espaço para armazenar estes e outros bens.

Na inauguração do centro, em Janeiro deste ano, a Câmara Municipal da Maia comprometeu-se a ajudar a associação na realização da obra de um armazém. Álvaro Gil Azevedo acredita que a autarquia irá cumprir a promessa. Ainda sem números certos, o presidente da direcção da “A Causa da Criança” calcula que a obra deverá estar orçada em cerca de 20 mil euros.

Fernanda Alves

Gerir uma instituição deste tipo, não é nem nunca será fácil, segundo Álvaro Gil Azevedo. Apesar da ajuda substancial da Segurança Social, a associação tem ainda de suportar uma parte dos custos resultantes do funcionamento do centro

2 COMENTÁRIOS

  1. queremos ajudar instituição mas não sabemos como. não pode ser em dinheiro mas sim em roupa e brinquedos. (eb23depedrouços).obrigado

Comments are closed.