Causa da Criança vai receber produtos biológicos da Quinta da Gruta

0
219

A Câmara Municipal da Maia e a associação de solidariedade social “A Causa da Criança” assinaram, esta segunda-feira, um protocolo de cooperação. Com esta parceria a Quinta da Gruta vai passar a doar à instituição uma parte da sua produção agrícola totalmente integrada em modo biológico.
Cebolas, pepinos, pencas, alho francês, salsa, batatas e ovos são alguns dos produtos que agora vão chegar à mesa das crianças desta instituição.

De acordo com o protocolo celebrado, a Câmara Municipal da Maia disponibiliza gratuitamente, através do Complexo de Educação Ambiental da Quinta da Gruta, vários produtos hortícolas, produzidos sobre o modo de produção biológico. Não há uma periodicidade definida, a oferta dos referidos produtos hortícolas dependerá da disponibilidade dos mesmos no Complexo de Educação Ambiental da Quinta da Gruta.
A Causa da Criança deverá receber gratuitamente os produtos disponibilizados pelo Complexo de Educação Ambiental da Quinta da Gruta, comprometendo-se a envolver as suas crianças e jovens em actividades de Educação Ambiental, nomeadamente, através da participação nas actividades ambientais disponibilizadas pelo município da Maia.

O protocolo esta semana assinado é válido por dois anos, sendo automaticamente renovado por iguais períodos, desde que nenhuma das partes o denuncie, com a antecedência mínima de 60 dias da data da sua renovação automática.
A instituição aceitou “de bom grado” esta oferta da edilidade maiata. Diz o presidente da direcção da Causa da Criança, Gil Azevedo, que o Centro de Acolhimento Temporário (CAT) é uma casa “que tem que ser alimentada e por isso estamos reconhecidos”.

Actualmente a CAT acolhe 23 crianças, mais uma do que a sua capacidade, daí que “toda a ajuda seja bem-vinda”, refere o dirigente, acrescentando que é com a ajuda de todos que conseguem “sobreviver”.
Depois de ter recordado toda a ajuda que já deu à associação, o presidente da Câmara da Maia, Bragança Fernandes, recordou os cortes na ordem dos 10 milhões de euros que vão ter que fazer nos próximos seis meses. No entanto, ressalvou que “na educação e na acção social vamos fazer os possíveis para não ter que fazer mexidas”. “Vamos fazer um esforço para que nunca falte nada”, acrescentou.
O edil da Maia deixou ainda votos de parabéns à direcção, que esteve toda presente, pelo trabalho que têm desenvolvido em prol dos mais pequenos.

Isabel Fernandes Moreira