Centro Equestre da Maia realiza GP de Portugal e espera pela rede de apostas

0
569
Hipódromo Municipal da Maia
- Publicidade -

O Centro Equestre organiza e realiza atividades no Hipódromo Municipal da Maia e dispõe de infraestruturas para receber diversas disciplinas e grandes eventos como as jornadas do campeonato nacional. A próxima prova de relevo é no fim de semana de 2 a 4 de setembro: o Grande Prémio de Portugal de trote e galope, inserido na V Feira do Cavalo. Desfile equestre, jogos tradicionais a cavalo (gincana), poule de obstáculos, espetáculo equestre de Alta Escola, experiência equestre para crianças (batismo a cavalo) e espetáculos musicais serão outros dos atrativos do programa deste evento com entrada livre.

Manuel Oliveira, presidente do Centro Equestre da Maia (CEM), adianta que serão cerca de 60 participantes nas diversas provas, destacando-se a “manga” de galope e de trote, onde participam os cerca de 10 melhores praticantes nacionais. No Grande Prémio só podem participar os apurados ao longo do ano em todas as corridas nacionais, pelo que estarão na competição da tarde (15h00) de domingo (dia 4) os melhores corredores.

Há muitos interessados nas corridas de cavalos e na envolvente social de toda a atividade organizada pelo CEM, como dão conta os números de visitantes na feira do ano passado. “Foram cerca de “8 mil pessoas que por aqui passaram nos três dias do certame”, referiu Manuel Oliveira.

O CEM também tem uma escola em funcionamento, com abertura a cerca de 200 alunos, pois, frisou o presidente, “a base desta associação é a formação. Já têm saído alguns grandes talentos para o hipismo”.

Há espanhóis a treinar regularmente o trote na Maia e, de resto, praticantes de quase todos os concelhos da região Norte procuram o hipódromo municipal, onde se pratica uma taxa simbólica de utilização do espaço.

Em breve entrada nas apostas vai dinamizar o setor

Manuel Oliveira, que é também vice presidente da Liga Portuguesa de Cavalos de Corrida, com sede na Maia, adianta que o interesse no concelho será ainda maior quando estiver a funcionar o sistema de apostas, “uma espécie de euromilhões das coridas de cavalos”, explicou.

A Liga está a tratar da implementação do sistema há alguns anos e Manuel Oliveira refere que “o anterior governo já tinha todo o processo concluído, faltando apenas o concurso para a localização dos três hipódromos no país. Só falta esse passo para se avançar com as apostas”.

cav

O sistema irá criar verbas para que se possam construir os hipódromos, já que as exigências são “de alto nível” para que se possa integrar uma rede de apostas. Um exemplo: a pista da Maia, das melhores do país, tem 800 metros e a regra impõe 1350.

“A legislação prevê três hipódromos em Portugal: um no Norte, outro no Centro e ainda um a Sul. A Maia é uma localização favorita para a região Norte, dado ter ótimas condições de localização geográfica, junto a um aeroporto, e com boas acessibilidades rodoviárias. Por outro lado, sublinha Manuel Oliveira, “tem uma tradição de mais de 30 anos nas corridas, está no circuito nacional com 40% das corridas portuguesas a terem lugar na Maia”.

Alavanca para economia nacional

A vertente turística é uma faceta muito importante a aliar a estas realizações. É preciso não esquecer que o “nosso país é muito procurado pelos praticantes de equitação, porque tem um tempo muito ameno para treinos. Assim há muitas “quadras” (ou proprietários de cavalos) estrangeiras interessadas nos nossos hipódromos”.

O facto de estarmos em vias de entrar no sistema de apostas, tem suscitado muita curiosidade de outros países, que “nos estão a observar atentamente e com interesse em investir nos nossos equipamentos”.

Serão potenciais investidores fundamentais para desenvolver esta prática, que constituirá uma alavanca importante para a economia nacional. O desporto equestre poderá criar muitos postos de trabalho diretos e indiretos. Por exemplo, quando a máquina das apostas estiver a funcionar, adianta Manuel Oliveira, “cada cavalo de corrida poderá criar cinco postos de trabalho diretos: o ferrador, o treinador, o tratador, o jockey, o veterinário”.

Depois haverá outras áreas envolventes em expansão, como é o caso da criação de cavalos, do fabrico e venda de rações, da venda de equipamentos diversos ligados ao hipismo, etc.

Hipódromo Municipal da Maia

O Hipódromo Municipal da Maia dispõe de bar, paddock de apresentação, tribuna, área relvada com bancos para o público, secretaria, 5 boxes, 2 lavadouros, percurso Cross Country, pista para galope e trote em piso de areia com 800 metros, picadeiro em piso de areia com 3.500 m2, picadeiro de ensino, parque de obstáculos com 20 anteparas e 30 varas, carriére de ensino e parque de estacionamento público.
Localizado na Rua de Amaro Correia e Sá, Silva Escura, Maia.

- Publicidade -