Centro de Investigação em Ciência Animal vai ser instalado em Moreira

0
495
- Publicidade -

O Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto e a Câmara da Maia assinaram, esta manhã, um protocolo para a instalação do Centro de Investigação em Ciência Animal, que será edificado em Padrão de Moreira, freguesia de Moreira.

O equipamento, que custará quase três milhões de euros e criará novos postos de trabalho, será construído num prazo de três anos pela Universidade do Porto e ICBAS, com a colaboração do município maiato, que cede um terreno com 40.710 metros quadrados, em regime de direito de superfície pelos próximos 30 anos.

“O objetivo é combater uma deficiência que existe no nosso país, que é a ausência de instalações devidamente apropriadas para fazer experimentação animal com animais de médio e grande porte. Este centro é importante para a nossa atividade, mas também para o país”, afirmou o diretor do ICBAS, António Sousa Pereira.

Já o presidente da Câmara da Maia, António Silva Tiago, vincou que este concelho “está sempre disponível para acolher e apoiar projetos de vanguarda no domínio da ciência, que acrescentem valor ao território e às pessoas”.
Quer António Silva Tiago, quer Bragança Fernandes, o anterior presidente da Câmara e atual presidente da Assembleia Municipal, sublinharam que este “é um dia histórico” para a Maia e para a região.

António Sousa Pereira salientou que, além do ICBAS, que surge como promotor, o projeto envolve a Universidade de Trás-os-Montes, a Universidade do Minho e a Universidade de Évora, bem como todo o tecido empresarial do setor através de empresas associadas.

O diretor também considerou a localização “excelente para permitir acesso de produtores, quer alunos” e evidenciou a crescente importância do estudo de temas como a segurança alimentar, investigação sobre doenças emergentes e uso das novas tecnologias.

“A unidade a construir permitirá a melhoria das condições de investigação, ensino e prestação de serviços na área da ciência animal, bem como o desenvolvimento de novas áreas de experimentação em interface com as ciências médicas”, refere a descrição do projeto.

O reitor da UP, Sebastião Feyo de Azevedo, contextualizou o projeto no designado Consórcio das Universidades do Norte (acordo firmado entre a UP, Universidade do Minho, UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro), Universidade de Évora, e que envolve ainda o tecido empresarial, Ministério da Saúde e Ministério da Ciência e Tecnologia. Este consórcio irá desenvolver iniciativas conjuntas de fomento à coesão territorial, “algo que temos que trabalhar em conjunto”.

O reitor defende que a “descentralização faz-se não por decreto, mas colocando nas regiões instituições de grande dimensão, algo que os governos não têm feito. Pelo que temos que dar o exemplo nesse sentido”, adiantou Sebastião Feyo de Azevedo.
Carlos Moreira, presidente da Junta de Freguesia de Moreira, considerou em declarações à comunicação social, que esta unidade é muito importante para a Maia e para a nossa freguesia, é um desenvolvimento diferente que teremos no futuro, com mais postos de trabalho, mais procura de habitação e dinamismo na restauração”.

Angélica Santos

- Publicidade -