“Chegou a hora de concretizar” a cidade desportiva da Maia

0
445
António Tiago apresenta a Cidade Desportiva da Maia
- Publicidade -

A Câmara Municipal da Maia vai investir cerca de dois milhões e 250 mil euros na Cidade Desportiva da Maia. O projeto da autoria da Arquiteta Laura Roldão foi apresentado publicamente, no sábado, dia 15, no Complexo Municipal de Ténis.

Com 10 hectares de terreno, este espaço vai complementar as infraestruturas já existentes dedicadas ao desporto, o Estádio Prof. Dr. José Vieira de Carvalho, o Complexo Municipal de Ténis, o Complexo Municipal de Ginástica e o Pavilhão Gimnodesportivo. Este espaço contará com percursos pedestres, zonas de jardim, uma cafetaria, um skate park e um lago, permitindo a prática desportiva, o lazer e até eventos culturais.

Serão investidos mais de dois milhões e 250 mil euros, sendo que a Câmara conta com o cofinanciamento na ordem de um milhão e meio de euros, no âmbito do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano. Este plano comunitário permitirá ainda até 2020 concretizar outros investimentos no total de 22 milhões de euros.

No mesmo dia foram ainda inauguradas as novas instalações no Estádio, cedidas pela autarquia à Academia Fernanda Ribeiro, à Federação Portuguesa de Futebol, ao Maia Atlético Clube e ao Futebol Clube Maia Lidador.

Quarteirão desportivo aberto à comunidade

A visita às instalações do parque da cidade da Maia começou pela área que já está a ser intervencionada, em frente à Escola Secundária da Maia, em que o muro que existia foi derrubado e construídos novos passeios por entre as árvores. É uma das entradas de livre fruição, que já fica pronta e cuja caraterística será comum à globalidade da futura cidade desportiva.

A arquiteta Laura Roldão referiu que a cidade desportiva permitirá acessos rápidos a vários pontos da cidade, bem como acessos e percursos mais lentos para a prática desportiva e de lazer. No local da apresentação do projeto, estava bem visível um desses novos acessos: a nova área verde que será inserida na cidade desportiva e que será implantada num terreno anexo aos campos de ténis a confinar com o posto de combustível BP.

A arquiteta Laura Roldão é autora do projeto da Cidade Desportiva da Maia

O presidente da Câmara, Bragança Fernandes, frisou que esta cidade desportiva será uma “nova centralidade com amplos espaços verdes de fruição coletiva, que trarão a dignidade que se exige a um quarteirão desportivo, que se transformará numa verdadeira cidade desportiva. É mais um espaço para as pessoas. Desde que assumi a presidência da Câmara Municipal sempre investimos nas pessoas”.

Obra sonhada pelo executivo já serve 1600 pessoas por dia

Bragança Fernandes salientou que esta foi uma “obra com a qual o executivo sempre sonhou e fica concluída após esta intervenção”. O concurso público da empreitada foi lançado na reunião de câmara da passada segunda-feira, dia 17. Vai permitir, frisou o autarca, dar mais “qualidade de vida às 1600 pessoas que aqui, todos os dias, praticam desporto ou  caminham”.

“Hoje, nasce simbolicamente nesta cerimónia a cidade desportiva da Maia”, sublinhou na sua intervenção o vice-presidente da autarquia. António Tiago destacou a importância que o espaço terá para o bem-estar da população e a contribuição que indiretamente dará à saúde pública, em simultâneo com “a substantiva transformação no enquadramento paisagístico urbano” da cidade.

Acima de tudo, António Tiago quis destacar que a cidade desportiva da Maia será “um lugar de encontro, de partilha, de convivialidade pública”.

Aplicabilidade de fundos comunitários eficiente, garante Bragança Fernandes

Na apresentação da cidade desportiva da Maia, o presidente da Câmara aproveitou para realizar um balanço da aplicabilidade das verbas comunitárias até ao momento.

Assim, no caso do PEDU –  Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, já estão completamente aprovados 22 milhões de euros até 2020 a serem concretizadas nas áreas da reabilitação urbana (como é o caso deste projeto), da mobilidade sustentável e do apoio às comunidades desfavorecidas.

Início simbólico da Cidade Desportiva da Maia

Os fundos comunitários não se ficam pelo PEDU, tendo a Câmara da Maia já assinado um Acordo que garante 13 milhões de euros para a requalificação das escolas EB 2/3 de Gueifães, EB 2/3 Vieira de Carvalho (em Moreira) e EB 2/3 Gonçalo Mendes da Maia (Maia), bem como para a eficiência energética e projetos nas áreas da Cultura e Ação Social.

Resumindo, esta autarquia “já conseguiu garantir cerca de 35 milhões de euros de verbas comunitárias para investimento direto em todo o concelho”, referiu o presidente, acrescentando que, “se a estes valores juntarmos os projetos que temos prontos a submeter – e que certamente serão aprovados pela sua mais-valia – temos a convicção de que ultrapassaremos os 51 milhões de euros de investimento comunitários”. É um cenário classificado por Bragança Fernandes de “muito bom”, tudo graças a “uma equipa de trabalho muito eficaz e uma Câmara muito sólida”.

O autarca maiato lembra que, para estes resultados, foi fundamental “antecipar soluções”, o que levou o município a ser o “único a aprovar atempadamente o Plano de Mobilidade Sustentável, o que permitiu conseguirmos o fantástico valor para o PEDU”. Por outro lado, frisou o edil, “era fundamental para aprovar estas candidaturas que a autarquia tivesse os 15% de valor sancional, o que na Maia foi possível sem dificuldade”.

Número de utentes nas instalações (por mês)

  • Estádio Municipal : 7.367
  • Pavilhão Municipal + Campo de Treinos Sintético: 9.167
  • Complexo Municipal de Ténis da Maia: 8.802
  • Complexo Municipal de Ginástica da Maia: 13.545

TOTAL -38.581

- Publicidade -