Câmara da Maia vai modernizar serviços

0
121

A Câmara Municipal da Maia viu aprovada uma candidatura que apresentou ao SIMA – Sistema Integrado de Modernização Autárquica. A operação, que já está no terreno, terá um custo total 1.896.376,49 euros e conta uma comparticipação do FEDER na ordem dos 60 por cento, ou seja, de 1.104.196,49 euros. O prazo para a execução é de dois anos.

De acordo com o chefe do departamento de Informática da autarquia, Couto Vale, os munícipes, por enquanto, não vão sentir grandes alterações. No entanto, as acções que vão ser desenvolvidas nos próximos tempos vão permitir consolidar o “back office”, isto é, os próprios serviços camarários, disponibilizando depois um serviço em melhores condições ao munícipe. “Nós só podemos prestar um bom serviço ao público se estiver tudo a funcionar”, referiu o responsável.

A candidatura SIMA – Sistema Integrado de Modernização Autárquica – prevê quatro acções distintas. A primeira será voltada para a modernização da infra-estrutura tecnológica de base informática. Esta acção comporta a aquisição de hardware e software informático e pretende agir em dois vectores estruturantes.

A ideia é modernizar e reformular a rede informática existente, substituir equipamentos obsoletos com mais de sete anos; modernizar e reformular alguns servidores, a capacidade de armazenamento de informação e de serviços informáticos actualmente existentes e obsoletos.

A segunda acção será relacionada com a gestão documental e de workflow (gestão de circuitos internos de informação), conglomera a aquisição de software de Sistema Gestão Documental e de Workflow que vai permitir melhorar a qualidade da informação interna e “consequentemente” melhorar os serviços prestados ao cidadão. Esta segunda acção prevê ainda a aquisição de um módulo de utilização do cartão de cidadão para assinatura digital que permitirá autenticação digital através do uso do cartão. O projecto constitui uma parte de um projecto mais global que engloba a posterior implementação de um Sistema de Gestão de Arquivo Municipal.

A terceira acção está relacionada com o sistema municipal de planeamento electrónico Maia e-planning, e pretende ser mais do que uma simples ferramenta de disponibilização e consulta dos Planos Municipais de Ordenamento do Território em vigor por parte da sociedade em geral. O objectivo é agilizar todos os processos relacionados com o Planeamento e Gestão Territorial, “tornando a administração local mais eficiente e, sobretudo, mais eficaz e mais fácil”, referiu Couto Vale.

A acção quatro prende-se com a modernização e certificação dos serviços autárquicos, que engloba a prestação de serviços de empresa especializada que tem por objecto a consultoria de apoio em dois eixos complementares, nomeadamente o eixo da qualidade e o eixo da formação e qualificação dos recursos humanos.

A candidatura engloba também o processo de certificação do Departamento de Conservação e Manutenção de Estruturas Municipais, da Divisão do Cadastro, Remunerações e Aposentações e à Secção da Formação e Requalificação Profissional, do Gabinete Municipal de Atendimento, da Biblioteca Municipal Doutor José Vieira de Carvalho e da Divisão do Turismo através da Entidade Certificadora APCER. Engloba ainda a subscrição da Plataforma de Compras Electrónicas VortalGOV, tendo em vista a desmaterialização da contratação pública, criando um sistema alternativo ao papel, e assegurando assim “um encurtamento dos prazos procedimentais”.

Neste caso, Couto Vale adianta que alguns dos processos de certificação já estão em curso.

Isabel Fernandes Moreira