Concurso público para nova Junta de Gueifães deverá ser lançado em Março

0
140

Durante o mês de Março, o mais tardar em Abril, deverá ser lançado o concurso público para a construção da nova Junta de Freguesia de Gueifães e Centro Cívico. Na próxima terça-feira, o presidente da Junta de Freguesia, Alberto Monteiro, vai reunir-se com o vice-presidente da Câmara Municipal da Maia, António da Silva Tiago, onde espera que sejam ultimados os pormenores para se poder partir para a abertura do concurso.

Vai ser um local “extremamente prático e simples. Nós não queremos nada de muito complicado”.

O edifício vai aproveitar a cantina da escola, ficando acoplada ao novo espaço, com um centro de dia para os idosos, com duas salas, uma para a leitura de jornais e para a realização de jogos, e a outra para funcionar como um mini ginásio para proporcionar alguma actividade física aos mais velhos. No rés-do-chão, para o lado esquerdo vai ficar a junta de freguesia, com o atendimento ao público, três gabinetes para atendimento de acção social, jurídica e psicológica e um quarto gabinete para atendimento individual do presidente aos fregueses. Ainda ao nível do rés-do-chão vai ser construído um auditório com capacidade para 280 pessoas.

No primeiro andar vão ficar os gabinetes do presidente, do tesoureiro, do secretário e dos vogais. Ao lado do gabinete do presidente vai ser construída uma sala, para cerca de 35 pessoas, que será polivalente, “Vai dar para reunir, para realizar uma assembleia de freguesia, se for necessário, de urgência”, explica o autarca. Na cave, vai ser construída uma pequena oficina para manutenção das viaturas, e uma garagem.

O novo edifício vai possuir também uma sala museu, uma cafetaria e camarins com acesso ao auditório, Esquecido no projecto não ficou o acesso para pessoas com mobilidade reduzida. Do lado de fora, vai ser tudo ajardinado, permitindo a deslocação da população até ao posto dos correios.

Alberto Monteiro diz que agora começa a ver “realmente” uma luz ao fundo do túnel e que o novo espaço “é mais do que necessário”até por questões de funcionamento dos próprios serviços. “Aqui não temos nada, não temos condições nenhumas nem para trabalhar. Eu levo tudo para casa para trabalhar, depois volto a trazer de manhã. É a melhor maneira de se poderem fazer as coisas”, conta. O presidente da Junta de Freguesia acrescenta ainda que o edifício actual não se coaduna com as necessidades, tendo em conta “a população residente na freguesia de Gueifães que tem vindo a crescer nos últimos anos”.

O prazo de execução da obra, que está orçada em cerca de um milhão e 250 mil euros, é de dois anos e Alberto Monteiro espera que esta arranque ainda este ano. À semelhança do que aconteceu com todos os outros Centros Cívicos construídos no município, o de Gueifães vai contar com a devida comparticipação por parte da Câmara Municipal da Maia.

Isabel Fernandes Moreira