Covid-19: 14 utentes já recuperados no Lar da Misericórdia da Maia

0
569
imagem de arquivo

Catorze utentes do lar professor Vieira de Carvalho, da Santa Casa da Misericórdia da Maia, recuperaram da infeção pelo novo coronavírus, existindo atualmente 15 casos positivos, três dos quais hospitalizados, disse hoje o diretor técnico daquela estrutura.

Em declarações à Lusa, Nuno Magalhães afirmou que 14 dos 26 utentes infetados com o SARS-CoV-2 daquela unidade estão recuperados (num universo de 48 utentes).

Numa segunda ronda de testes efetuados aos utentes foram identificados “três novos casos” positivos, dois referentes a utentes que no primeiro rastreio tiveram resultado negativo e outro referente a um utente internado numa unidade hospitalar.

No total, são 15 os casos positivos naquela unidade, sendo que três estão hospitalizados com um quadro clínico “estável”, referiu.

Do total de utentes, 19 testaram negativo ao novo coronavírus, que provoca a covid-19.
Os casos negativos e positivos encontram-se alojados em pisos diferentes da estrutura da Santa Casa da Misericórdia da Maia, no distrito do Porto, garantiu Nuno Magalhães.

O surto de covid-19 neste lar provocou a morte de dois utentes, que ocorreram em 16 de outubro e na segunda-feira.
​​​​​​​
Além dos utentes, 25 colaboradores (num universo de 78) testaram também positivo para o novo coronavírus.

Entre os funcionários que testaram positivo ao novo coronavírus estão o diretor técnico da instituição, uma enfermeira, uma animadora e uma administrativa, sendo os restantes ajudantes de ação direta.

Segundo o diretor técnico, a instituição aguarda ainda o resultado dos novos testes de despiste ao SARS-CoV-2 realizados aos funcionários.

Neste momento, o lar conta com um reforço de três colaboradores oriundos de uma agência de trabalho temporário e mais seis do centro de emprego, embora deste último grupo apenas quatro estão ao serviço, uma vez que, entretanto, dois testaram positivo.

Com capacidade para 50 utentes, o Lar Prof. Doutor José Vieira de Carvalho, da Misericórdia da Maia, tem estado a trabalhar em articulação com a autoridade de saúde local, e em parceira com a Segurança Social e com uma clínica.

(Lusa)