Crianças desafiadas pelo tema da Igualdade

0
316
- Publicidade -

“Todos Iguais na Diferença” é o tema da exposição que foi inaugurada na Galeria da Torre Lidador (no Piso 1). Nela podem ser observados trabalhos de alunos de 37 escolas do concelho do pré-escolar e do 1º ciclo do ensino básico, que se candidataram ao concurso infantil promovido pela Câmara Municipal.

A galeria foi invadida por crianças na tarde do passado dia 14, altura em que foi inaugurada a mostra pelo presidente do executivo, Bragança Fernandes, pelo vice-presidente, António Tiago, acompanhados ainda pelos vereadores, Paulo Ramalho, Ana Miguel Vieira de Carvalho e Marta Peneda.

A comunidade escolar foi envolvida no espírito da igualdade, um dos conceitos subjacentes a este desafio colocado pela autarquia no concurso infantil. O resultado foram centenas de trabalho muito coloridos, apelativos no âmbito das artes plásticas, fotografia, desenho e vídeo.

O presidente da Câmara fez votos para que “todas as outras escolas do concelho venham aqui visitar os bonitos trabalhos que vocês realizaram. E agradeço a todos os professores que ajudaram neste trabalho”.

Cuidar das crianças é cuidar do futuro, refere António Tiago

António Tiago salientou a importância de se cuidar das crianças a vários níveis, pois assim cuidamos de ter um futuro melhor.

O vice-presidente sublinhou que foi este cuidado que se teve ao realizar-se o concurso: “foi o que fizemos aqui, distinguimos um punhado de miúdos, de 37 escolas do concelho, que foram desafiados pelos professores e pela comunidade educativa a pegar num tema, a igualdade, ou a desigualdade, para desenvolverem trabalhos de artes plásticas ou mesmo ao nível de tecnologia, já que um dos trabalhos premiados foi um vídeo”.

António Tiago prosseguiu: “as crianças tiveram oportunidade de testar a sua destreza com o manuseamento de diversos materiais, nas artes plásticas, mas também puderam trabalhar nas novas tecnologias, que estão associadas à aprendizagem e, cada vez mais, no futuro.

É nesta conjugação de propósitos e de crenças que surge esta síntese, que foi premiada aqui nesta iniciativa. Para nós, isto é muito gratificante, como creio que o será para toda a comunidade.”

Um desafio no âmbito do projeto Redes para o Desenvolvimento

Os trabalhos expostos ao longo de um mês a toda a comunidade estão relacionados com o projeto a que a Câmara da Maia aderiu chamado Redes para o Desenvolvimento, que engloba outros municípios do país, e que até deu origem à criação da Rede Inter-municipal de Cooperação para o Desenvolvimento. Esta tem como principal missão Educar para o Desenvolvimento.

“Esta missão baseia-se na promoção dos 17 objetivos que foram definidos no ano passado pela ONU, a atingir até 2030, de combate à pobreza e às desigualdades, defesa do meio ambiente para, no fundo, tornar este um mundo melhor”, sublinhou o vereador das Relações Internacionais, Paulo Ramalho.

Próximo desafio será “Abraçar o mundo”

A sessão terminou com um grande abraço entre elementos do executivo camarário e as crianças, como forma de salientar o tema do próximo projeto escolar que se deverá iniciar em outubro – “Abraçar o mundo”.

A técnica que irá orientar as oficinas é Manuela Castro, que já trabalhou com as crianças do grupo do SAF (Sistema de Apoio à Família), onde se realizaram os trabalhos de olaria patentes na exposição.

As oficinas que se avizinham trabalharão mais o desenho e a pintura: “serão oficinas do afeto em que se focará o “abraço” ao nível plástico”, explicou Manuela Castro.

Esta atividade será direcionada ao pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico de todo o concelho, semanalmente, ao longo do ano letivo. Ao contrário das oficinas de verão, que decorreram diariamente no mês de junho em 35 escolas.

A técnica viu as crianças muito recetivas a este tipo de ações em que se aposta nas artes plásticas, porque se podem ligar a um elemento moldável e dar asas à sua criatividade.

Por vezes, as crianças são atiradas para o contacto com tecnologias, como os tablets, pensando-se que elas não se interessam por trabalhos manuais ou brincadeiras mais tradicionais.

Manuela Castro entende que isso não é muito verdadeiro, pelo contrário, “não existem oportunidades” para as crianças terem esse despertar para outro tipo de brincadeiras ou contacto com materiais moldáveis e a natureza. Quando isso acontece, garantiu, sente-se o “grande entusiasmo” dos mais novos.

Premiados:

1º lugar – EB1/JI D. Manuel & EB1/JI Cidade Jardim
3º lugar – EB1/JI de Currais
Menções Honrosas: EB1/JI Castelo da Maia, EB1/JI do Gestalinho, EB1/JI do Ferronho

Angélica Santos

- Publicidade -