Crianças já têm prendas para o Natal

0
204

A provedora da Santa Casa da Misericórdia da Maia, Maria de Lurdes Maia, recebeu das mãos do presidente da Câmara, Bragança Fernandes, o Cabaz de Solidariedade Natalícia, numa cerimónia que decorreu no Museu de História e Etnologia da Terra da Maia, na passada quarta-feira.
A campanha arrancou a 2 de Novembro e até à semana passada o Museu de Etnologia, a Biblioteca Municipal e a Quinta Caverneira receberam os donativos de brinquedos, livros e vestuários destinados às crianças mais carenciadas do concelho.

O presidente da autarquia maiata congratulou-se com o sucesso da iniciativa: “Há quase uma década que fazemos este cabaz. São brinquedos bons que ficam abandonados e que podem servir para outras crianças que são beneficiárias da Santa Casa. Agora vamos oferecê-los e eles vão distribuí-los pelos mais novos. Agradeço desde já às pessoas que doaram estes artigos e a quem muito se empenhou no projecto”.

Bragança Fernandes mostrou-se também satisfeito com a possibilidade dos mais desfavorecidos poderem celebrar um natal mais feliz: “O Natal vai ser igual para todos e para isso é preciso haver alegria. Esta época é importante para os mais novos, e quando recebem prendas ficam mais satisfeitos. Com isto estamos a ajudar aqueles que não tinham possibilidade de dar prendas aos filhos, e agora já o vão poder fazer. Somos um pouco o Pai Natal. Nós queremos que o sol nasça para todos e é esse o fundamento destas iniciativas”, atira o presidente da autarquia.

A provedora da Santa Casa, Maria de Lurdes Maia, fala “numa grande quantidade de brinquedos”, mas acrescenta que “não sei ao certo quantos são” até porque “a recolha é feita através das escola se é difícil chegar a um número”.
Maria de Lurdes Maia também se mostrou contente com esta ajuda: “É uma grande ajuda para os mais carenciados. Vamo-nos tentar organizar da melhor maneira para chegar a todos. São cerca de 800 crianças que vão beneficiar com esta iniciativa, entre utentes nosso e outros casos que conhecemos. Dependendo das idades que têm, vamos fazer tentar chegar os mais adequados”, conclui a provedora.

André Cordeiro