Desceu o pano de mais uma Primavera do Teatro

0
145

Cerca de mil pessoas assistiram entre 23 e o passado domingo à terceira edição da Primavera do Teatro que, este ano, contou com a primeira Mostra de Teatro Amador da Maia. A iniciativa, surgiu este ano com uma novidade que se prendeu com a realização de uma mostra de teatro amador.

Em final de edição, o director da iniciativa, José Leitão, fazia um balanço positivo em primeiro lugar quanto à assistência. O responsável entendia que se conseguisse juntar cerca de 150 pessoas por noite de espectáculo “já seria muito bom”. Isto tendo em conta que algumas das peças subiram ao palco durante a semana. Mas ter quase 200 pessoas por espectáculo “foi muito bom, atendendo a que são todos amadores”. “Foi, de facto, uma belíssima experiência”, afirma.

No que toca às peças de teatro, José Leitão afirma que pelo palco do Fórum da Maia passaram “espectáculos muito bem engendrados”. Os actores são amadores mas tiveram direcções de alguns profissionais, alguns actores de teatro. “É o caso do Pé do Charco, do Grupo de Teatro de Vermoim, do Instituto Cultural da Maia e da Juventude Barcarense, que encerrou a mostra de teatro, numa interpretação do “Principezinho”. Pelo palco passaram ainda os Fontineiros da Maia e Flor de Pedrouços, que apresentaram dois espectáculos mais tradicionais de revista à portuguesa. “Foram espectáculos para todos os gostos, com diversos níveis de interpretação, de apuramento mas que mostram que as pessoas querem aprender”.

Em jeito de conclusão, diz o director do Art’Imagem que com todas as actividades voltadas para o teatro “temos, cada vez mais, uma Maia mais cultural”. “E em tempos de crise é, de facto, uma boa fuga e uma boa arma para lutar contra a crise”.

Isabel Fernandes Moreira