Desemprego no Norte atinge recorde

0
171

Mais um recorde da taxa de desemprego na Região Norte. No último trimestre de 2008, a taxa atingiu “um novo máximo” de 11,9 por cento (%), revelou esta quarta-feira a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), no boletim “Norte Conjuntura” referente ao quarto trimestre do ano passado. A nível nacional, a taxa de desemprego cifrou-se em 10,1 por cento.

Apesar das exportações do Norte para a União Europeia terem crescido 2,1 por cento em valor – “impulsionadas sobretudo pelos produtos da indústria automóvel e as máquinas, aparelhos e material eléctrico” – não conseguiram inverter a “tendência negativa das indústrias transformadoras seguidas do sector da construção”. O resultado foi o crescimento da taxa de desemprego, tanto em relação ao trimestre anterior (11,6%) como quando comparada com o período homólogo de 2008 (8,7%).

Se olharmos à média anual, o Norte superou o nível nacional de redução do emprego, em 2009. Em todo o país, a queda foi de 2,8 %, mas chegou aos 3,2% na Região Norte. Entre os residentes com idades entre os 15 e os 64 anos, conclui a CCDR-N que a taxa de emprego de 64% é “o menor valor de que há registo (desde há pelo menos 12 anos). Os cerca de 236 mil desempregados estimados pelo Instituto Nacional de estatística correspondiam, no quarto trimestre do ano passado, a cerca de 41,8% do total nacional”. Já o desemprego apurado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional apontava para um valor médio mensal de 229 mil desempregados, nos últimos três meses de 2009.

Mostra ainda este boletim que continuam a ser os trabalhadores com escolaridade máxima do terceiro ciclo do ensino básico os mais afectados pela perda de emprego na Região Norte.

Mas nem tudo foi negativo na região no final de 2009. Os indicadores divulgados pela CCDR-N revelam ainda uma redução do nível de incumprimento das empresas e o crescente dinamismo da actividade hoteleira.

Marta Costa