DGS: Plano da saúde outono-inverno centrado na proteção dos idosos e mais vulneráveis

0
85
Plano da saúde outobo-inverno

Foi apresentado pela Direção-Geral da Saúde o Plano da Saúde para o Outono-Inverno de 2020/2021. Este plano será revisto de dois em dois meses devido às atualizações sobre a pandemia de Covid19 e tem como objetivo fulcral preservar vidas humanas e proteger os idosos institucionalizados.

A DGS refere que “Preservar vidas humanas, proteger os mais vulneráveis, particularmente a população idosa a viver em Estruturas Residenciais para idosos; e preparar a resposta ao crescimento epidémico da COVID-19 são os grandes objetivos desta estratégia”, avançando ainda que “o plano prevê um reforço da resposta em saúde pública, especialmente em situações de surtos; adapta as atuais Áreas Dedicadas à COVID-19 em Áreas Dedicadas aos Doentes Respiratórios e os circuitos de internamento hospitalar para diferentes fases da resposta”.

Quanto aos casos não Covid-19, é criada uma Task-force e é realizada uma aposta para uma maior capacidade de resposta nos cuidados de saúde primários, com atendimento presencial, não presencial e domiciliário, assim como nas respostas de proximidade, incluindo dispensa de medicamentos.

Segundo o documento, a Task-force, constituída por elementos de cada Administração Regional de Saúde, será um contributo relevante para enfrentar as dificuldades esperadas para o Outono-Inverno. Esta estrutura irá assegurar a execução de um plano de contingência para a adaptação da atividade “não-covid-19”, seguindo “critérios clínicos, de qualidade e segurança, e de gestão eficiente, adaptáveis a nível local”. Assim, irá definir “critérios de seleção dos utentes cujo seguimento possa ser assegurado, pelo menos parcialmente, por teleconsulta e telemonitorização”.

Por outro lado, a vigilância de doentes crónicos, os rastreios oncológicos, os rastreios da visão, os programas de saúde materna, infantil, vacinação, planeamento familiar, saúde oral, assim como outras atividades fundamentais devem continuar a ser asseguradas.

Além da gripe sazonal e de outras infeções respiratórias, a DGS alerta para um expectável “aumento da incidência” da pandemia Covid-19 em Portugal, pelo que “agora, torna-se essencial preparar a nova fase de resposta dos serviços de saúde para os desafios adicionais que os próximos meses irão colocar”.

O Plano outono-inverno da DGS recomenda ainda máscaras em algumas situações ao ar livre quando não for possível manter a distância mínima de dois metros de outra pessoa. Quanto ao uso de máscara nos espaços fechados mantém-se obrigatório. A diminuição dos contactos entre indivíduos, o cumprimento do distanciamento físico, a etiqueta respiratória, a higienização frequente das mãos, a limpeza e desinfeção de equipamentos e superfícies, a ventilação de espaços e outras medida mantêm-se relevantes.

Consulte o plano completo aqui