Dia dos Vizinhos assinalado na Maia

0
159

Foi um domingo diferente. A Câmara Municipal da Maia desafiou administrações de condomínio dos empreendimentos municipais de habitação do concelho para comemorarem o Dia Europeu dos Vizinhos, que se assinalou na passada terça-feira, dia 26 de Maio, mas a data foi antecipada dois dias.

O objectivo da iniciativa, promovida pela autarquia maiata, era aproximar pessoas que convivem todos os dias e procurou também fomentar laços de amizade. Vários habitantes responderam ao repto e promoveram pequenos encontros na Maia. As festas espalharam-se pela cidade e os vizinhos reuniram-se no Empreendimento do Pátio de Almorôde, em Vermoim, nos Empreendimentos de Gondim, na Rua de Porto Bom, e no gaveto das ruas da Arroteia e Gonçalo Mendes da Maia, em Pedrouços, o primeiro pólo camarário a ser habitado nesta freguesia maiata.

Veja o vídeo:

José Faria empenhou-se na organização do Dia Europeu dos Vizinhos, em Pedrouços. “Mal soube da notícia deitei logo mãos à obra”, disse o organizador do evento. José Faria sublinhou a importância das relações interpessoais e considerou importante que “as pessoas se juntem pelo menos uma vez por ano”. O gaveto das Ruas da Arroteia e Gonçalo Mendes da Maia, em Pedrouços, é a casa de 60 famílias. O organizador deste dia enalteceu a boa relação que existe entre os habitantes deste empreendimento, que considerou “cumpridores”. Razão que José Faria encontra para justificar a falta de mais gente a comemorar a data. “Cada um tem a sua vida”, acrescentou o organizador.

Numa tarde solarenga em Pedrouços, eram às dezenas os moradores no pátio do conjunto habitacional camarário. Animados, os vizinhos bebiam, comiam, e jogavam damas e dominó. Para José Faria, as pessoas podiam ser em maior número. Mas o organizador do evento adoptou a velha máxima que diz “Só faz falta quem cá está”. José Faria está tranquilo e garante que fez tudo o que era possível para juntar grande parte dos vizinhos. “Veio quem veio”, disse o organizador.

A vertente didáctica da iniciativa não foi esquecida. José Faria disse que “o importante aqui são as crianças” e os mais novos estavam em grande número no empreendimento da freguesia de Pedrouços. No pátio das habitações, estava plantada, pelos mais novos, uma horta biológica. “É preciso ensinar os mais novos a mexer na terra, que é a nossa fonte de vida”, concluiu José Faria. O Dia Europeu dos Vizinhos antecipado continuou tarde dentro.