Dia Municipal do Diálogo Intercultural mostra diversificação cultural

0
233

A Socialis – Instituição Particular de Solidariedade Social promove este sábado, dia 18 de Junho, a II Mostra do Dia Municipal do Diálogo Intercultural. O principal objectivo é promover um encontro de culturas e mostrar a diversificação cultural que existe no concelho da Maia e mesmo no distrito do Porto.
Isto porque uma das valências da Socialis é o CLAII – Centro Local de Apoio à Integração de Imigrantes e a mostra vem no âmbito da sensibilização da opinião pública para as questões da interculturalidade e da imigração. Ou seja, “o objectivo é mesmo sensibilizar a comunidade local e todas as pessoas que nos visitarão no evento relativamente a estas questões”, explica Isabel Pinto, técnica do CLAII.

A assistente social considera “muito importante” que exista uma proximidade entre a população imigrante e da sua cultura da população local, até para que conheçam mutuamente os seus hábitos e costumes.
A Socialis colocou à stands à disposição de entidades quer locais quer entidades que estão directamente ligadas com a intervenção no âmbito da imigração. É o caso, por exemplo, das associações de imigrantes que estarão a representar as culturas de países ou de cidade que vão representar com mostras culturais e mostras gastronómicas.

E a promessa é que “teremos um dia muito festivo, com animação, com danças, cantares tradicionais, música, um dia muito alegre”, enumera Isabel Pinto.
Assim, entre as 14h00 e as 23h00, no Parque Central da Maia, vão estar cerca de 30 stands em representação de mais de 15 nacionalidades e dois consulados. Comparativamente com a primeira edição, o número de stands mantém-se porque na mesma altura vão realizar-se uma série de actividades, o que impede que algumas instituições que estavam inicialmente interessadas em participar não o possam fazer. Mas “há outras que não estiveram na edição anterior e que vão marcar presença nesta segunda mostra”.

Na Maia, a grande parte da população imigrante é brasileira e ucraniana. A partir daí, existe uma variedade de nacionalidades menos representativas, entre as quais marroquina, indiana e chinesa. E o CLAII, recorda a técnica, é um serviço em que a comunidade imigrante pode confiar. “É um serviço de proximidade, é um serviço de acolhimento, não é um serviço fiscalizador. Nós não somos uma entidade fiscalizadora como é o SEF, somos sim uma entidade que promove o acolhimento e a integração da população imigrante”.

Isabel Fernandes Moreira