Dirigentes associativos em formação

1
33

Junho será o mês de arranque do Curso Certificado de Formação de Dirigentes Associativos, promovido pela Federação das Colectividades do Distrito do Porto, em parceria com a Câmara Municipal da Maia. Chegou a estar previsto para começar em Abril, mas o prazo de inscrições foi alargado até 20 de Maio. Até porque, por essa altura, os dirigentes pareciam não estar ainda receptivos a dedicar parte do seu tempo a esta aprendizagem. Ao convite da autarquia maiata já reagiram positivamente cerca de dez colectividades do concelho. Mas outras poderão ainda inscrever-se.

No seio de um movimento que engloba mais de três milhões de pessoas, o que acontece é que, por norma, as colectividades são geridas em regime de voluntariado. Apesar da “muito boa vontade”, são elementos que “agora se vêem confrontados com exigências na área do Direito e da Fiscalidade, para as quais não estavam preparados”, reconhece a responsável pelo departamento de formação da federação, Alda Lopes Pinto. Sobre essas dificuldades versam também muitas das queixas chegadas à federação, à medida que “foram evoluindo as exigências na área da fiscalidade e do direito das associações”. Daí a criação deste curso, destinado a actuais e futuros dirigentes associativos.

Para concretizar aquela que é “uma das maiores prioridades” da federação, foi criada uma bolsa de formadores entre pessoas com experiência na área do associativismo, para formar os participantes em temáticas como a fiscalidade, a contabilidade e a organização administrativa e jurídica das colectividades. Mas porque se pretende também que todas as associações tenham os serviços informatizados, o curso versará ainda sobre a vertente da informática, inclusive com o intuito de “começar a trabalhar em rede com as associações”. Mas não fica por aqui. O curso é complementado com a abordagem da área administrativa (por exemplo, como fazer cartas e convocatórias, como elaborar flyers de promoção de espectáculos) e da área comportamental, que poderá ajudar os dirigentes a resolver situações de conflito que surjam no quotidiano das instituições.

Tudo isto será ministrado em horário pós-laboral, num total de 125 horas, embora sejam também disponibilizados horários para quem já esteja fora da vida activa e tenha disponibilidade durante o dia, ou seja, em horário laboral.
Mas porque “a intervenção se torna muito mais fácil quando temos a trabalhar connosco as autarquias”, reconhece Alda Lopes Pinto, foram estabelecidas parcerias. A Maia não é o primeiro município a fazê-lo, com vista à formação de dirigentes associativos. A primeira foi formalizada em Gaia, com o apoio da Junta de Freguesia de Vilar do Paraíso, tendo já terminado o curso dos primeiros dirigentes associativos. Entretanto, a federação já assinou um protocolo com a Câmara do Porto, através da Porto Lazer.

Oportunidade para melhorar

Na Câmara da Maia, reconhece a responsável que “foram fantásticos na adesão às propostas”. Para dirigentes, será a primeira formação no concelho, mas o responsável pelo pelouro do Desporto na autarquia maiata, Hernâni Ribeiro, recorda que tem sido habitual a câmara promover acções de formação, ainda que mais voltadas para as colectividades desportivas. “Não é que na Maia não tenhamos bons dirigentes, que temos, mas para dar-lhes melhor formação específica nessa área”, sublinha. Daí a pronta resposta, positiva, ao convite da federação.

Sem uma noção clara de quantos poderão ser os dirigentes a inscreverem-se para este curso – até terça-feira eram dez as colectividades interessadas – Hernani Ribeiro acredita que a acção “vai ser bastante participada”. Aliás, “ficaria desiludido se não fosse, porque acho que é uma oportunidade que estamos a dar e que seria uma mais-valia, tanto para os dirigentes como para as colectividades que dirigem”. Dependendo do número de interessados, este Curso Certificado de Formação de Dirigentes Associativos poderá decorrer na Maia ou haver necessidade de os juntar a dirigentes de outros municípios, para realizar as acções na sede da Federação das Colectividades do Distrito do Porto.

Marta Costa

1 COMENTÁRIO

  1. Boa noite

    Desde já agradeço o tempo dedicado à leitura desta mensagem.

    Eu precisava, urgentemente, de entrar em contacto com a Dra. Alda Lopes Pinto, no ambito do modolo Psicossociologia do trabalho.

    Alguém me consegue mensionar como posso obter o mail da Dra, ou da instituição em que lecciona!

    Gracto pela atenção

Comments are closed.