Dão-se “tampinhas”

0
89

São aos milhares, de diferentes cores e tamanhos. Estamos a falar das tampinhas que têm vindo a ser recolhidas, há cerca de dois anos, pelos cerca de 80 meninos da creche, jardim-de-infância e sala de estudo, “Pim Pim”, em Gueifães. Num espírito solidário recolheram e agora procuram uma instituição que precise de equipamentos médicos, ortopédicos ou similares.

Tudo começou com o projecto educativo que se prendia com as questões da solidariedade. A ideia, conta a proprietária Ana Cristina Pinheiro, era mostrar aos meninos o que é a solidariedade e que esta pode exprimir-se de muitas formas. Por exemplo, “nessa altura fomos à Casa do Caminho e eles levaram um brinquedo, fomos visitar os velhinhos do Lar de Santo António e eles dançaram. Há uma série de iniciativas que desenvolvemos e que tinha a ver com o projecto educativo”, conta a responsável. 

Numa das entradas das instalações deste jardim-de-infância só se vêem garrafões de plásticos cheios de tampas. Alguns mostram uma mistura de cores, mas outros estão mesmo separados por cores. Diz a responsável da instituição que as tampinhas acabaram também por possibilitar desenvolver outro tipo de actividades com os meninos, nomeadamente “separar por cores” ou por tamanhos.

Isabel Fernandes Moreira

(Notícia a desenvolver na edição desta semana de Primeira Mão)