Empresa da Maia enaltecida pela ministra da Saúde

0
670
máscara

A ministra da Saúde, Marta Temido, agradeceu a empresas como a Unifardas (da Maia) e a Raclac (de V.N. Famalicão) o esforço e a capacidade de adaptação para o fornecimento do material necessário no combate à pandemia. Foi no domingo de Páscoa, na conferência de imprensa, que todos os dias é organizada pelo ministério da Saúde e Direção Geral da Saúde.

“A indústria nacional cujo esforço e capacidade de adaptação cumpre reconhecer, tem várias encomendas que já tem realizado e vai continuar a realizar”, afirmou a ministra, acrescentando “uma palavra de apreço e reconhecimento” às empresas que têm protagonizado este esforço, citando estas empresas entre outras dos mais diversos setores.

A Unifardas, empresa com sede em Moreira, na Maia, especializada em fardamento e workwear (equipamento de trabalho), tem fornecido às equipas hospitalares balaclavas e cogulas, impermeáveis e repelentes à água, capazes de garantir a proteção de toda a área da cabeça e pescoço.

Este tipo de produtos é novo para a empresa, mas já foi validado pelos laboratórios do CITEVE (Centro Tecnológico Têxtil e Vestuário) e a produção já ultrapassou as dez mil unidades.

“Devido a este processo de certificação com o CITEVE e por entrarmos na corrida muito cedo, fomos referenciados como um fornecedor credível. Atualmente já produzimos e comercializados este produto certificado para alguns hospitais e para o Ministério da Saúde”, explica a empresa de fardamento, que antes da pandemia era sobretudo focada no workwear industrial, mas que se tem vindo a especializar em vestuário hospitalar.