Empresa Metropolitana de Estacionamento da Maia assume fiscalização

0
424
EMEM assume fiscalização de estacionamento

A EMEM passa a assumir a fiscalização do estacionamento gerador de infrações leves. A Empresa Metropolitana de Estacionamento da Maia já tem no terreno Agentes de Fiscalização de Estacionamento legalmente habilitados.

Até agora as funções da EMEM estavam ligadas à fiscalização do estacionamento tarifado (parquímetros) e à exploração do Parque Central da Maia, mas a partir deste mês vão passar a ser mais abrangentes: fiscalização do estacionamento gerador de infrações leves (locais de estacionamento proibido, estacionamento em passeios, em curvas ou em segunda fila, são alguns exemplos).

Com esta medida, o Município pretende aumentar a qualidade de vida de quem vive, trabalha e visita a Maia, pelo que desde o dia 1 de junho que a EMEM conta com uma equipa de Agentes de Fiscalização de Estacionamento reforçada, que passa a fiscalizar todo o estacionamento indevido no concelho.

Todos os Agentes de Fiscalização de Estacionamento são certificados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, estando legalmente habilitados a realizar esta função e a passar os competentes autos de notícia.

Segundo Nelson Ferraz, diretor geral da empresa, “a atividade da EMEM assenta na Competência, Credibilidade, Ética, Eficiência e na Qualidade do Serviço Prestado ao Município e aos Munícipes, para que os nossos residentes, trabalhadores e visitantes tenham a possibilidade de usufruir de uma cidade organizada, sustentável e amiga do ambiente”.

Nelson Ferraz acrescenta que “durante estes primeiros dias de junho, os nossos agentes encontram-se a informar e a sensibilizar a população”, funções que têm sido bem recebidas, frisou ainda, “por parte dos nossos munícipes que valorizam a organização do estacionamento da cidade.”

A delegação das novas competências da EMEM foi aprovada por deliberação da Assembleia Municipal de 9 de dezembro de 2019 e prevê a transferência de competências do estacionamento público para os órgãos municipais, conforme já preconizado no DL107/2018 de 29 de novembro.