Empresas motivadas para o processo de internacionalização

0
298
Exportar a Maia
- Publicidade -

A Associação Empresarial (AE) da Maia reuniu empresários do concelho e especialistas no apoio à internacionalização de empresas na conferência “Exportar a Maia”. A incidência desta sessão, que se realizou na Quinta da Gruta, na manhã do dia 1 de abril, foi para as Pequenas e Médias Empresas (PME).

“Há muitos anos que a nossa praia é o mundo empresarial”, afirmou o vice-presidente da Câmara da Maia, António Tiago, na mensagem que dirigiu a todos os presentes. O autarca salientou que o executivo maiato continuará a dar prioridade às vertentes do Desporto, Educação, Ambiente, Urbanismo, a par do “estímulo ao tecido empresarial”.

Pedro Rodrigues, diretor de PME da AICEP, e Cristina Miguens, diretora de Projetos e Incentivos da consultora WIND, foram os convidados do presidente da AE Maia, Carlos Mendes, para a “Exportar a Maia”. O objetivo do encontro foi dotar empresas de mais e melhores ferramentas para enfrentar os mercados internacionais. Afinal, é urgente aproveitar mais uma janela de candidaturas aos incentivos do Portugal 2020, a decorrer desde o dia 16 de março e até 13 de maio de 2016, destinada a micro, pequenas e médias empresas, que pretendam a internacionalização e exportar os seus produtos.

Os dois convidados salientaram que estes processos de internacionalização não são simples, “não basta enviar um email e no dia seguinte receber um cheque”, frisou Pedro Rodrigues. “A internacionalização implica resiliência, tempo e investimento”, apontou ainda Cristina Miguens. E, acima de tudo, de acordo com os dois oradores, é necessário “investir nos recursos humanos e na sua formação para lidar com os mercados externos, exigentes e complexos”.

A AE Maia está pronta a orientar os empresários locais no processo de expansão internacional, no que conta com o auxílio destes parceiros, AICEP e WIND.

Em declarações ao Primeira Mão, o vice-presidente da Câmara da Maia demonstrou a confiança do executivo nos atuais corpos sociais da AE Maia, justificando-se assim o grande apoio que a autarquia concedeu com vista à construção da nova sede social da instituição: “por altura das festas do concelho (primeira segunda-feira de julho), a AE Maia poderá inaugurar a sua nova sede, uma obra de arte, junto à via periférica, no centro da Maia, com o apoio que tem sido muito expressivo da Câmara, desde logo para o terreno,  para o projeto e uma grande comparticipação financeira para a execução daquela obra”.

António Tiago sublinhou ainda que, tendo em conta a forte componente empresarial nos fundos comunitários do Portugal 2020, “as empresas devem posicionar-se para poderem melhorar a sua performance em termos de criação de riqueza e de valor, que é para isso que elas existem. A Câmara e a AE Maia devem ser as entidades facilitadoras e potenciadoras disso mesmo”.

- Publicidade -