Encargos com funcionários da câmara ultrapassaram os 15 milhões de euros

0
179

A Câmara Municipal da Maia gastou, só em remunerações dos funcionários, cerca de 13 milhões 720 mil euros. É um dos dados do Balanço Social do município referente a 2009. Àquele valor, junta-se cerca de 871 mil euros em suplementos remuneratórios e 1,2 milhões de euros em prestações sociais (subsídio de refeição e abono de família). O total de encargos com os trabalhadores atingiu quase 15,8 milhões de euros.

O documento indica ainda que o quadro de pessoal é composto por 1278 trabalhadores, sendo que a maioria são do sexo feminino (697). Deste total, mais de metade encontra-se em situação de contrato por tempo indeterminado.

A autarquia mantém ainda 112 pessoas em situação de avença. No que se refere ao nível de escolaridade dos trabalhadores do município, cerca de 30 por cento (387) são licenciados. Os que completaram o 12º ano de escolaridade, representam 19,25 por cento do quadro de pessoal, ou seja, 246 trabalhadores. Duzentos e trinta e sete funcionários (14,48 por cento), cumpriram apenas os primeiros quatro anos de escolaridade. A maioria está entre os 25 e os 49 anos de idade.

Dos 1278 funcionários da Câmara Municipal da Maia, 23 são portadores de deficiência, sendo que a maioria encontra-se em funções de Assistente Operacional (12) e Assistente Técnico (7). Em 2009, foram admitidos, através de concurso, 125 trabalhadores, a maioria para cargos de Técnico Superior (122). Entretanto, a autarquia perdeu 274 trabalhadores, a maioria (254) por caducidade do tempo de trabalho. Foram ainda 88 os que regressaram ao seu posto de trabalho – funcionários que, por várias razões, não estavam ao serviço.

No ano passado foram ainda prestadas 20281 horas de trabalho extraordinário, nocturno e diurno. Em dias de descanso semanal, complementar e feriados, foram efectuadas 17848 horas de trabalho. A maioria ocorreu em dias de descanso semanal complementar (12079).

Em termos de absentismo, as ausências ocorridas em 2009 corresponderam a 26417 dias de trabalho, a maioria devido a doença (14915).

O Balanço Social de 2009 dá conta ainda dos processos disciplinares aplicados aos trabalhadores. Foram muito poucos. No decorrer do ano foram instaurados três processos disciplinares, que resultaram na suspensão de funções. Dois processos transitaram do ano anterior. Um processo foi arquivado, e um foi decidido com multa.

Fernanda Alves