“Encontro de Saúde” para ajudar a combater a solidão e obesidade nos idosos de Pedrouços

1
195

Cerca de 17 por cento dos idosos inscritos na Unidade de Saúde Familiar de Pedrouços “Saúde em Família” sofre de solidão e 36 por cento dos utentes seniores apresentam excesso de peso. É pelo menos o que mostram os resultados de um inquérito realizado, no ano passado, na Uunidade de Saúde Familiar (USF) de Pedrouços, por quatro alunas da especialidade de enfermagem comunitária.

Do estudo realizado, afirma Cristina Damas, uma das quatro alunas, apontaram-se como prioridades “os hábitos alimentares adequados, a solidão, a obesidade e o sedentarismo”. Por isso, as enfermeiras decidiram realizar um “Encontro de Saúde”, que decorreu no passado fim-de-semana, na Junta de Freguesia local, com o objectivo de informar e formar os utentes.

Cerca de 17 por cento dos idosos inscritos na Unidade de Saúde Familiar de Pedrouços “Saúde em Família” sofre de solidão e 36 por cento dos utentes seniores apresentam excesso de peso

Apesar da população alvo serem os utentes com idade igual ou superior a 65 anos, o evento esteve aberto a todos quantos quiseram passar pela Junta de Freguesia de Pedrouços “porque estes problemas não são só dos idosos, são de toda a população”, afirmou Cristina Damas. Mas como não podiam estudar toda a população, entenderam eleger um grupo etário para ser objecto de estudo. Escolheram o grupo etário com idade igual ou superior a 65 anos porque “são as pessoas que têm menos acesso à informação e têm muitas ideias estereotipadas, daí ser aquelas que achamos prioritária”, justificou.

Para além de uma sessão solene de abertura, que contou com a presença da vereadora da Acção Social da Câmara Municipal da Maia, Ana Miguel Vieira de Carvalho, da directora executiva do Agrupamento de Centros de Saúde da Maia, Luísa Fontes, da directora da USF “Saúde em Família”, Teresa Bragança, da coordenadora de enfermagem do CESPU – Cooperativa de Ensino Superior, Politécnico e Universitário, Clarisse Magalhães e da representante da Santa Casa da Misericórdia da Maia, Helena Ribeiro, durante o resto do dia de sábado e todo o dia de domingo, os visitantes tiveram a oportunidade visitar as diferentes bancas alusivas a cada um dos grupos da roda dos alimentos, pelas bancas de rastreio, onde foi calculado o índice de massa corporal, despistada a diabetes e a hipertensão arterial, fazer rastreio auditivo e visual. E como consideram que existe muito descuido com a parte de podologia, convidaram algumas colegas que são da área de podologia para fazerem também esses rastreios. “Isto pensando também nos nossos idosos porque alguns deles são diabéticos e carecem mais dessa necessidades”, acrescentou a enfermeira.

Para além disso, associou-se ainda à iniciativa o Projecto Lidador que ficou responsável pelo cantinho das actividades, onde mostraram algumas actividades e a forma como os mais velhos podem ocupar o tempo. “Claro que foi direccionado para os idosos porque foi a nossa população alvo”.

À entrada foi entregue a cada um um folheto com a descrição das bancas por onde cada um passou e em caso de ser identificado algum problema, foi registado no referido folheto. No final foi carimbado e assinado por um dos elementos da organização para que o utente se pudesse dirigir à unidade de saúde dizendo que lhe foi detectado um possível problema. Cristina Damas fala em possível porque “às vezes pode ser algo do momento, mas pode ser algo que já exista há algum tempo e para o qual não estavam alertados. Portanto, cabe ao médico despistar e se houver necessidade encaminhar para algum sítio”, explicou.

Os seniores participantes receberam ainda à entrada um número que, no final, deu direito a um sorteio para assistir a um espectáculo de Filipe La Féria ou um fim-de-semana numa pousada do INATEL.

Isabel Fernandes Moreira

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.