Feirantes de Pedras Rubras preocupados com prejuízos

0
577
imagem de arquivo

Alguns feirantes de Pedras Rubras, na Maia, foram na manhã desta quinta-feira surpreendidos com o encerramento do recinto e mostraram-se preocupados com os prejuízos. A suspensão da feira foi decretada pela autarquia como medida de combate ao vírus Covid-19.

Os feirantes quando chegaram ao recinto, logo pelas 7h00, tinham militares da GNR à espera, que, de seguida, impediram a realização da feira.

Um dos vendedores referiu que tem receio dos prejuízos, até porque também vende noutras feiras, onde as vendas também foram suspensas, como são os casos de Senhora da Hora e de Custóias, em Matosinhos, que também já foram suspensas.

Os feirantes deixam ainda outras queixas, apontando o dedo às superfícies fechadas, onde consideram que está o maior foco de contaminação. Um dos vendedores afirmou que, “num espaço aberto como é a feira, cada pessoa leva a sua saca ou o seu carrinho e ninguém lhe põe a mão”.

O presidente da Junta de Freguesia de Moreira, Carlos Moreira, marcou presença na feira de Pedras Rubras e disse compreender as preocupações dos feirantes.

Entrevistado pelo JN, Carlos Moreira avançou que iria procurar “sensibilizar” a Câmara da Maia para tentar junto do governo que seja dado um apoio aos cerca de 200 vendedores em Pedras Rubras.

O problema é que a feira tem que fechar, mas os feirantes veem nas imediações estabelecimentos comerciais abertos, sendo que, frisou Carlos Moreira, “não temos autonomia para os mandar fechar”.

Na lista de medidas do plano de contingência da Câmara da Maia para prevenção e contenção do Covid-19 consta o encerramento de feiras e mercados da Maia.