Festas de Nossa Senhora da Hora com melhorias

0
212

Fogo de artifício no sábado e música no domingo à noite são as novidades da edição deste ano das Festas em Honra de Nossa Senhora da Hora. Depois de dois anos de interregno, as festividades regressaram à freguesia de Nogueira em 2009 e já bem sucedidas. Este ano, e apesar da consciência da crise que faz com que não seja fácil angariar verbas, “melhorámos alguma coisa”, adianta o presidente da comissão de festas, Ilídio Carneiro. Essas melhorias apenas foram possíveis graças aos patrocínios angariados e às inúmeras actividades de angariação de fundos.

[audio:CRISE_FESTAS.mp3]

Em relação à edição de 2009, a música ao vivo estende-se este ano por mais uma noite, a de domingo, a cargo do Grupo Musical Costa Verde, subindo ao palco assim que forem 21h30. Novidade é também a sessão de fogo de artifício, marcada para a meia-noite, no fecho do programa de sábado das festividades em honra de Nossa Senhora da Hora. São os avanços da comissão que no ano passado abarcou a organização das festas, embora com alguns receios e cautela em relação ao orçamento.

Em termo de custos, no ano passado a comissão de festas fixou o tecto nos 25 mil euros e, apesar das melhorias na edição de 2010, as festividades não deverão custar muito mais do que isso. A ultrapassar, admite Ilídio Carneiro, “será umas centenas de euros, não mais”. Até porque, apesar de ser considerada uma festa de média dimensão, “queremos que ela possa ter possibilidades financeiras de se aguentar”. Para isso, alerta, “não podemos entrar em exageros” e depois não ter verbas para cobrir as despesas, já que as empresas não estão tão disponíveis para este tipo de patrocínios, nem os próprios cidadãos. Recorda o presidente da câmara que “as pessoas em si, no ano passado, colaboraram mais, em termos de peditórios e dos eventos de música ao vivo”, do que no corrente ano, em que “há menos poder de compra”.

Canastras são argumento

Se as contas são uma preocupação constante, a adesão da comunidade não parece ser uma dor de cabeça para a organização. Pelo menos quando se recorda que no ano passado “ultrapassou as expectativas”. Para 2010, confessa o presidente, “esperamos conseguir, pelo menos, igual ao ano passado”, sabendo de antemão que cerca de 80 por cento dos visitantes são oriundos da freguesia e os restantes de fora da Maia.

Para essa adesão deverá contribuir o programa, mesmo para além das novidades já referidas. Um dos fortes argumentos é a concentração de canastras floridas, marcada para as 15h00 de sábado. Esta é já uma tradição na freguesia, pelo menos há uma década, que se traduz ainda num desfile próprio desde o adro da igreja até ao Monte de Nossa Senhora da Hora. Termina exactamente com tradições bem nacionais, isto é, com folclore. Neste quarto encontro vão subir ao palco o Rancho Folclórico S. Cosme de Gemunde (Maia) e o Rancho Folclórico de Maiorca (Figueira da Foz). Tudo isto antes da Missa Vespertina na Capela do Monte de Nossa Senhora da Hora, marcada para as 21h00.

Ainda assim, domingo continua a ser considerado “o dia maior da festa”. Começa bem cedo, às 9h00, com a entrada da Banda de Música de Moreira da Maia no Largo de Barroso.

[audio:CESTOS_FLORAIS.mp3]

Domingo é também o dia do ponto alto das festividades a nível religioso. Além da missa solene, será recitado o terço com sermão, a partir das 16h30. No final, sai a magestosa procissão em honra de Nossa Senhora da Hora.O encerramento será com mais uma iniciativa religiosa, a missa de Acção de Graças na Capela do Monte de Nossa Senhora da Hora, na segunda-feira, às 21h30.