Festival das Sopas na EB 2, 3 da Maia

0
218

sopas

“Come a sopa, vá lá! Come a sopa, vá lá! Faz-te bem e ajuda-te a crescer!”. Em fundo ouvia-se o Avô Cantigas, no polivalente as panelas estavam cheias de sopa pronta a ser servida aos muitos alunos da escola EB 2, 3 da Maia. Alunos que estavam a postos para seguir o conselho do conhecido artista. A sopa foi, obviamente, a “estrela” do Festival das Sopas organizados pela EB 2, 3 da Maia, esta terça-feira, numa comemoração já fora do calendário do Dia Mundial da Alimentação, que foi assinalado há exactamente uma semana. Em cima da mesa não estava só a fumegante sopa de espinafres, mas também a importância do consumo da mesma para a adopção de uma alimentação saudável, assim como o combate à obesidade infantil.
“A sopa tem qualidades alimentares e nutricionais muito importantes”. São palavras da Coordenadora da Educação para a Saúde, Inês Cunha, que considera a sopa “essencial” na alimentação dos mais pequenos. Os benefícios não se ficam por aqui. “A sopa prepara o nosso organismo para a digestão e contém muitos nutrientes, como vitaminas, sais minerais e fibras, que são protectores do nosso organismo”.
Uma preocupação em fornecer sopa aos mais pequenos que não se limita ao festival, já que “existe na cantina a preocupação, durante todo o ano, de divulgar o consumo de sopa entre os mais jovens”, revela Inês Cunha. “É um trabalho interdisciplinar. Todos os alunos fazem trabalhos em todas as disciplinas, fazem trabalhos, fazem pesquisa sobre a importância das sopas”.
E não são só as propriedades alimentares da sopa que estão em destaque. “A sopa tem história, está no nosso legado gastronómico e cultural, é tradicionalmente portuguesa. Mas tem-se vindo a perder o hábito e a tradição ao longo dos últimos tempos, talvez porque os pais de hoje não têm tanto tempo para perpetuar a sopa como a conhecemos”, referiu a docente.
Para contrariar essa tendência, Inês Cunha conta com os mais pequenos. “Construímos um panfleto com uma dúzia de razões para comer sopa, para que os miúdos levem para casa e convençam os pais que é bom comer sopa”. E como o nome “festa” não é por acaso, Inês Cunha garante que o conselho executivo “gosta de proporcionar festas aos alunos. De uma maneira informal, podem conviver com toda a comunidade escolar. Com os professores, com os auxiliares e com a associação de pais”.
No polivalente da escola, os alunos continuaram a seguir o conselho do Avô Cantigas que se ouvia de fundo. Porque, afinal de contas, a sopa faz-lhes bem e ajuda-os a crescer.