Freguesia de Vermoim quer estar mais próxima de Barroso, no Brasil

0
214

Uma delegação do município de Barroso, do Estado de Minas Gerais, no Brasil, foi recebida na Junta de Freguesia de Vermoim e na Câmara Municipal da Maia. A visita aconteceu na sequência dos estudos levados a cabo pelo autarca de Vermoim, Aloísio Nogueira, e que levaram à descoberta de que na origem do povoamento de Barroso esteve António da Costa Nogueira, natural de Vermoim, que no século XVIII emigrou para o Brasil.

O nome do maiato surge como a referência mais antiga à Fazenda do Barroso, onde terá chegado em 1715, ainda muito jovem. Foi dos primeiros povoadores de Barroso e responsável pela construção de uma capela dedicada a Sant’Ana, actual Igreja Matriz. Foi em torno desta capela que o povoado se foi desenvolvendo.
A partir da descoberta, estabeleceram-se os contactos entre as duas regiões, através da internet.
A vinda de uma delegação de Barroso à Maia foi o primeiro passo para uma relação que se quer mais próxima. Vanilton de Barros, vereador da Câmara de Barroso, manifestou o desejo de um “intercâmbio” que pode ir muito mais além da área cultural. “Queremos que ele se amplie para outras áreas, como social, educação e economia, que possam trazer benefícios para as comunidades de Barroso e Vermoim”, explicou. São aspectos que ainda estão a ser analisadas pelas partes, de forma a “intensificar este relacionamento”.

Entretanto, Aloísio Nogueira, presidente da junta de Vermoim foi declarado cidadão honorário de Barroso. O autarca não vê o título como uma distinção pessoal, mas antes como um reconhecimento pela contribuição do maiato António da Costa Nogueira no desenvolvimento de Barroso. “É uma honra muito grande. É uma distinção mais simbólica, para homenagear sobretudo alguém que de Vermoim saiu muito novo à procura de melhor fortuna, e teve sucesso. Um dos sinais do seu sucesso é o facto de ter dado o impulso inicial àquilo que é hoje a cidade do Barroso, no Estado de Minas Gerais”, sublinhou.

Relativamente ao relacionamento de cooperação que poderá vir a ser iniciado, Aloísio Nogueira esclarece que a visita à Maia representa “os primeiros passos de um caminho que se espera longo e que dê frutos no aprofundamento do conhecimento mútuo das nossas comunidades”.

Barroso é um município muito recente, uma vez que só obteve a sua emancipação em 1953. Ao longo dos anos passou por várias administrações municipais, nomeadamente Barbacena, Tiradentes e Dores de Campos. Tem cerca de 20 mil habitantes. A indústria do cimento é, desde a década de 50, a mais importante actividade económica da região.

De acordo com o vereador Vanilton de Barros, há ainda em Barroso indícios da presença de outros portugueses, nomeadamente da cidade de Braga. Aspectos da história da região que ainda estão a ser estudados pelo actual executivo de Barroso, que é liderado pela Perfeita Eika Oka de Melo.
“Achamos que Barroso precisa de conhecer o seu passado histórico, os seus fundadores, e começar a dar uma importância maior ao seu património histórico”, justificou o vereador da Câmara Municipal de Barroso.

Fernanda Alves